A nave do Han Solo (Que, aliás, atirou primeiro!)


width=420

A legendária Millennium Falcon teve papel absolutamente fundamental na destruição das duas armas mais letais jamais produzidas pelo malvado Império Galáctico, as duas Estrelas da Morte. E além do mais, é propriedade do pirata, contrabandista e mercenário mais legal do Universo, Han Solo!

Começando pelo assunto mais polêmico ligado a lata-velha mais veloz da Galáxia, o fato de ela ter feito a corrida de Kessel Run “em menos de 12 parsecs”, segundo nosso adorado mercenário. Aos incautos, e infelizmente não apenas a esses, assistindo ao não menos legendário Star Wars episódio IV, Uma Nova Esperança, surge a nítida impressão de que o parsec é uma medida de tempo.

E não é! Um Parsec é uma medida de distância, cuja equivalência é:

1 pc (um parsec) = 3,0857 x 10^16 m (metros).

Se formos converter para ano-luz:

1 pc = 3,2616 anos-luz.

Portanto, o Parsec é uma medida de distância, como bem mostrado pela (maravilhosa em sua roupinha branca bem justa), Padmé Amidala a bordo de sua nave em Tatooine, no Episódio II.

A explicação de George Lucas, o pai da coisa toda, é que em Star Wars são necessários cálculos complexos para o vôo pelo hiperespaço. Melhores cálculos implicam em menores distâncias, e como a Kessel Run tem um dos trechos percorridos pelo hiperespaço, Solo conseguiu realizar melhores cálculos e percorrer uma distância menor, seguindo um rumo muito mais direto do que os rivais.

A Falcon atinge em espaço normal praticamente a mesma velocidade que os grandes Star Destróieres do Império, mas é muitíssimo mais manobrável do que estes, como ficou bem demonstrado em O Império Contra Ataca. Já quando salta para o hiperespaço, não tem para ninguém.

width=420

A nave é um modelo YT-1300 de transporte corelliano muito modificado, com 26,7 metros de comprimento, e por isso mesmo muito pouco confiável. Os diversos sistemas, resultantes das “modificações especiais” de Han, parecem funcionar na maior parte do tempo completamente fora de tolerância, e frequentemente se mostram absolutamente incompatíveis, o que foi motivo de muitos problemas para Han e Chewie nos filmes e livros. Não é a toa que, na primeira vez em que a vê, Leia pergunta, “você veio NAQUILO!?”, enquanto Luke diz, “que monte de ferro-velho”.

Parece que, bem depois da Batalha de Endor, Solo e Chewbacca conseguiram resolver quase todos os problemas, o que envolveu reconstruir quase toda a nave. Mas nunca houve maiores detalhes sobre essa reforma.

width=430

As torretas de canhões superior e inferior são claramente inspiradas nas torretas de metralhadoras dos bombardeiros da Segunda Guerra Mundial, e a Falcon ainda possui armas laser de repetição ocultas na parte inferior, para uso antipessoal quando pousada, e lançadores de mísseis de concussão entre as mandíbulas dianteiras.

Em Star Wars IV, Han, Chewie, Luke e Obi-Wan, após a captura da nave pelo raio de tração da primeira Estrela da Morte, esconderam-se nos compartimentos a prova de detecção, que Solo utilizou diversas vezes para contrabando.

Han Solo ganhou a Falcon de seu proprietário anterior, seu amigo Lando Calrissian, em um jogo de sabacc. Quem foi o dono da nave antes de Lando é um mistério, e alguns afirmam que esse personagem é quem a pilota na aparição surpresa no começo de Star Wars Episódio III, A Vingança dos Sith. No momento em que Anakin e Obi-Wan estão chegando ao espaçoporto com o Chanceler Palpatine, que acabaram de resgatar, no lado direito inferior da imagem é possível ver um cargueiro corelliano entrando no imenso pavilhão. Se não for a Falcon, é uma nave gêmea!

A fabulosa Millennium Falcon tomou parte das maiores vitórias da Aliança Rebelde contra o Império. Na Batalha de Yavin, no último instante, Han aparece para dar cobertura a Luke enquanto este lança o ataque final contra a primeira Estrela da Morte. Já na Batalha de Endor, enquanto Luke, Leia, Han e Chewie lutavam na lua florestal ao lado de um destacamento rebelde, para destruir o gerador do escudo da segunda Estrela da Morte, a Falcon, pilotada por Lando Calrissian tendo ao lado o navegador sullustano Nien Numb, pôde finalmente lançar o ataque final a estação de batalha quando seu escudo é destruído, e ao lado do também legendário piloto de X-Wing Wedge Antilles, destroem a última ameaça imperial contra a Rebelião.

width=420

Nave mais conhecida e adorada de todo o universo de Star Wars, a Falcon já foi homenageada em vários outros universos.

Em Blade Runner, ela é parte de um edifício na decrépita Los Angeles do filme.

Em Starship Troopers, ela aparece engatada ao lado da torre proeminente da nave Rodger Young, tal como Han fez em O Império Contra Ataca.

Nas cenas iniciais de Jornada nas Estrelas Primeiro Contato, na colossal batalha contra o Cubo Borg, um pequeno modelo da Millennium Falcon foi introduzido. Isso se explica pelo fato de os efeitos da magnífica cena terem sido realizados na Industrial Light and Magic. Infelizmente, a nave é praticamente indistinguível. Este editor de seu site de entretenimento preferido repassou a cena no DVD por 3 vezes, mas infelizmente, apesar de algumas suspeitas, não foi possível identificar a nave.

A Falcon também aparece em Spaceballs, que aqui no Brasil recebeu o título Tem um Louco Solto no Espaço. A nave está estacionada em frente a lanchonete do final do filme.

Josh Whedon, o criador da saga vampírica de Buffy e Angel, afirmou que a Millennium Falcon foi a inspiração fundamental para sua série cancelada, Firefly.

Este editor já teve o imenso prazer de ver a versão Transformers da Millennium Falcon. Uma única constatação, fã brasileiro sofre!

width=430

Finalmente, em Os Simpsons, o Cara dos Quadrinhos dirige um carro AMC Gremlin com inúmeros adesivos tipicamente nerds, o mais importante obviamente dizendo “meu outro carro é uma Millenium Falcon”. Sim, assim mesmo faltando um N.

Diz a lenda que o modelo pensado inicialmente para ser a Millennium Falcon foi descartado, por ser muito similar a nave da série Espaço 1999. A solução teria vindo de um sanduíche parcialmente comido que estava na mão de George Lucas! E ainda dizem que o cockpit e sua posição verdadeiramente singular, ao lado do casco da nave, veio da idéia de uma azeitona ao lado de um hambúrger voador!

Claro que, como muitas naves da Ficção Científica, é meio complicado compatibilizar o interior da nave com seu exterior, faltando espaço para tanto! E o modelo em escala real da Falcon, para O Império Contra Ataca, foi construído em um hangar pela Marcon Fabrications em Pembroke, na Inglaterra. Pesava 23 toneladas, e era movimentado por cilindros pneumáticos.

width=420

De todo modo, a Millennium Falcon é sem dúvida a nave mais conhecida e adorada do universo de Star Wars, rivalizando com o X-Wing e o TIE Fighter no coração dos fãs. Ela pode ser uma lata velha, e já ter sido usada para contrabando e outras contravenções, mas quando o mau caráter se tornou herói, numa jornada que quase é comparável a do jovem Luke nos caminhos da Força até se tornar um Jedi, essa legendária nave passou a lutar pela liberdade e justiça na Galáxia, sendo absolutamente fundamental na derrocada do maligno Império Galáctico, e no estabelecimento da Nova República!

E sim, para nós aqui no Aumanack, Han sempre atirou primeiro!

width=420

width=420
Harrison Ford, na cabine, com Peter Mayhew durante as filmagens de Especial de Natal

Adicione seu comentário

Powered by Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *