E neste último dia de 2009, nada mais típico do que publicar alguns
comentários a respeito de como foi o ano. E com certeza, 2009 ficou marcado
como mais um Annus Fantasticus, para alegria de toda a imensa e crescente
comunidade nerd brasileira!
Começando pelo final, Avatar sem dúvida fechou com chave de ouro este ano. O
delírio visual de James Cameron foi o filme mais assistido nestes últimos
dias de 2009, e surpreendeu com sua tecnologia e seu monumental orçamento. A
trama, se não trouxe grandes novidades, é envolvente e comovente, como toda
boa Ficção Científica levantando grandes temas a serem discutidos, tais como
tolerância, respeito ao meio ambiente e tantos mais. A história de Jack
Sully, Neytiri e dos na´vi na lua Pandora deverá em breve ser ampliada em
uma sequência.
Se Avatar não teve uma trama que primou pela originalidade, esta tivemos em
altíssimas doses no fantástico Distrito 9. Filme de estréia de Neil
Blomkamp, patrocinado por Peter Jackson (o diretor de O Senhor dos Anéis,
caso alguém ainda não saiba), que serviu como produtor, ocupa tranquilamente
um lugar entre os melhores filmes do ano.
Violentíssimo, mesmo assim recebeu
elogios até de veículos no Brasil abertamente hostis a nossa Ficção
Científica, pela originalidade e pelo inconformismo. District 9, uma favela
em plena Johanesburgo, África do Sul, ocupada por alienígenas que encalharam
na Terra, poderia igualmente ser um amontoado de barracos em São Paulo ou
Rio de Janeiro. A feroz crítica social e a intolerância explícita contra os
aliens, chamados pejorativamente de “camarões”, trouxe de volta temas
essenciais e tradicionais de nossa amada FC, como as últimas produções do
gênero parecem ter se esquecido de abordar.
Avatar e Distrito 9 foram muitos importantes para nosso gênero preferido
também por escancarar que o ser humano é o vilão mais cruel e perverso que
se pode encarar. Os dois revitalizaram um gênero que alguns críticos muito
mal informados julgavam superado, em vista dos assombrosos avanços na
tecnologia atual. E Distrito 9, rodado em plena África do Sul e sem um único
nome famoso no elenco, também comprovou que a FC é um gênero sem fronteiras.
E essa qualidade internacional foi reforçada com o sucesso instantâneo no
You Tube de Ataque de Pánico, do uruguaio Federico Alvarez, que mostra uma
força alienígena armada com robôs gigantes e naves de ataque invadindo
Montevidéu. O curta rendeu a Alvarez um contrato com a produtora
independente Mandate, de Los Angeles, associada a Ghost House Pictures de
Sam Raimi, “apenas” o homem por trás dos primeiros filmes do Homem-Aranha. O
contrato de Alvarez prevê a produção de um filme com orçamento de 30 milhões
de dólares.
Quando lembramos da excelência e da quantidade de ótimos autores de Fantasia
e Ficção Científica aqui no Brasil… logo chegaremos a eles!
Ainda no cinema, também tivemos algumas decepções. Wolverine manso demais,
Exterminador do Futuro com um trailer revelador demais, e Transformers, A
Vingança dos Derrotados. A história deste, em si, é boa, mas o excesso de
piadinhas de duplo sentido, repetidas até a irritação, além do exagero em
termos de robôs vindo em ondas e ondas, prejudicaram fortemente o segundo
filme de Autobots e Decepticons. Por cima, falou-se mais das bobagens ditas
pela falastrona Megan Fox que do filme em si. Isso se chama o sucesso
subindo a cabeça, que pena.
Voltando aos bons filmes, os trekkers de todo o mundo, finalmente, depois de
anos de espera, tiveram o prazer indescritível de novamente poder conferir
um bom filme de Jornada nas Estrelas no cinema! Star Trek de J.J. Abrams
calou a boca dos críticos, instaurou uma nova linha temporal com grandes
mudanças mas mantendo todas as qualidades da franquia mais amada de todo o
Universo. Voltar aos tempos das primeiras missões de Kirk, Spock, McCoy e
companhia foi a aposta mais arriscada do ano, e Abrams conseguiu cumprir o
que prometeu, dar um novo início ao universo roddenberryano. O resultado é
de encher os olhos, os novos autores na pele dos clássicos personagens
fizeram um trabalho inspirado e magnífico, que no caso de McCoy e Scotty
trazem lágrimas aos olhos pela maravilhosa homenagem aos eternamente
saudosos DeForest Kelley e James Doohan.
Nós do Aumanack tivemos a satisfação de assistir a estréia, em 8 de maio, em
um cinema lotado com 400 apaixonados trekkers. A emoção de estar em uma sala
de cinema vindo abaixo com gritos e aplausos, diante da primeira aparição da
nova e maravilhosa Enterprise, ou da presença do ícone Leonard Nimoy, é
absolutamente indescritível, e só mesmo sendo fã para saber! Parabéns a
nossos amigos da FFESP pela iniciativa!
E o diretor Zack Snyder conseguiu o que muitos julgavam impossível, filmar o
“infilmável” Watchmen! O resultado é primoroso, um filme brilhante e para
poucos, mantendo os profundos questionamentos éticos e metafísicos da HQ
intactos, mesmo que obviamente haja profundas mudanças em relação a
intocável HQ de Alan Moore e Dave Gibbons. O DVD duplo é estupendo, e como
sempre devemos perguntar a respeito da versão do diretor.

Aproveitando, passamos outro ano sem as versões estendidas de O Senhor dos
Anéis, sem os DVDs de Taken, The Lone Gunmen, Babylon-5, e tantos e tantos e
tantos outros. Obras clássicas tais como A Invasão dos Discos Voadores e
novos clássicos como O Gigante de Ferro já estão fora de catálogo, e outros
como O Último Guerreiro das Estrelas nem sabemos se efetivamente saíram em
DVD no Brasil. Nosso primeiro e mais forte voto para 2010 é que as empresas
acordem e lancem esses desejados materiais para os fãs brasileiros.

Ainda em filmes, G.I. Joe conseguiu com sobras o que Transformers ficou bem
longe de fazer, ser um filme cheio de ação honesto e divertido. E tem Rachel
Nichols e Siena Miller, claro! E as animações voltaram a justificar o temor
de alguns atores de que pode faltar trabalho para eles muito em breve.
Monstros versus Alienígenas talvez tenha sido o filme mais divertido do ano,
transbordando de deliciosas referências a clássicos de nossa boa e velha
Ficção Científica fazendo com que muito marmanjo se divirta até mais que
seus pimpolhos ao assistir essa obra-prima. Já quanto a Up, o filme mais
sério da Pixar, todos os elogios ainda parecem poucos diante de mais uma
deslumbrante história. Como esses caras fazem isso!? Como extraem tanta
magia e emoção, desta vez de um velhinho rabugento que tem a maluca idéia de
alçar vôo com sua casa pendurada em milhares de balões, para realizar o
sonho que acalentou durante toda a vida, ao lado da falecida esposa? Um
primor, merece com certeza o Oscar de Animação que está vindo aí.

Já que mencionamos autores brasileiros do fantástico aí acima, a literatura
brasileira teve outro grande ano, com diversos lançamentos. Vale destacar a
sequência da Coleção Paradigmas da Tarja Editorial, que também lançou as
coletâneas Steampunk e FC do B, a força de editoras como a Idea e a Aleph,
os livros Invasão e A Fúria dos Lobisomens da Giz Editorial, e Contos
Imediatos da Terracota. A maioria absoluta dos lançamentos permanece sendo
de coletâneas de contos de vários autores, e permanece a expectativa quanto
ao lançamento de grandes romances de Ficção Científica de autores
brasileiros. O livro de nosso co-editor Renato Azevedo, De Roswell a
Varginha também da Tarja Editorial, segue em sua ascendente carreira, e
espera-se para breve suas primeiras sequências. E esperemos que os
produtores audiovisuais finalmente acordem e percebam que existem muitos
excelentes autores no Brasil, prontos para contribuir para produções de TV e
cinema!

Nosso site se chama Aumanack primeiro por um fanzine experimental que
realizamos e que não chegou a se concretizar, cujo nome era composto pelas
iniciais de seus idealizadores (nosso co-editor Renato Azevedo lamenta que o
R no final tenha caído). E especialmente por nossa intenção ser realizar de
fato um almanaque de diversos assuntos. Entre os quais ciência, que nós como
fãs dedicados da Ficção Científica sempre apreciamos e não poderíamos deixar
de fora nessa retrospectiva. Um dos destaques do ano, sem dúvida, vai para
as comemorações do Ano Internacional da Astronomia, em honra aos 400 anos do
primeiro telescópio de Galileu Galilei. Tivemos no Brasil a realização de
uma Assembléia Geral da União Astronômica Internacional, onde o maior
destaque foi para dois campos até poucos anos atrás considerados como motivo
de piada, a pesquisa de planetas extrassolares e da exobiologia, o estudo da
possibilidade de vida extraterrestre nesses mundos. Muitos nos trouxe
satisfação ver que aqui no Brasil a mobilização em torno da Astronomia tem
crescido, como por exemplo a inauguração do primeiro laboratório de
astrobiologia no Brasil, no Observatório Abrahão de Morais em Valinhos, SP,
vinculado ao Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas
(IAG), da USP.
E falando nisso, nós do Aumanack realizamos o primeiro evento, em todo o
planeta Terra, dedicado a Cosmos e a seu autor, Carl Sagan, em maio na
Estação Ciência. Cosmos 29 Anos foi um sucesso total, e em 2010, comemorando
os 30 anos da obra máxima do maior divulgador científico de todos os tempos,
estaremos de volta!
Em julho comemoramos os 40 anos do primeiro pouso lunar, em 20 de julho de
1969 com a missão Apollo 11. A NASA aproveitou para divulgar fotos, obtidas
de sondas em órbita de nosso satélite, dos locais de pouso dessa e das
missões 12, 14, 15, 16 e 17. São nítidos os rastros de astronautas e dos
jipes levados a partir da Apollo 15 e as sombras dos equipamentos deixados
na Lua, tornando as alegações de céticos e estes mesmos ainda mais
ridículos.
Em julho também algo muito grande caiu em Júpiter, e desse impacto só
obtivemos fotos de uma gigantesca nuvem com os gazes ejetados. Prova de que
a vigilância dos céus tem que ser constante, se quisermos evitar surpresas
desagradáveis. E já que falamos em exoplanetas, o número destes passou de
400, e um novo telescópio para caçá-los, o Kepler da NASA, já dá os
primeiros resultados, como a primeira determinação dos componentes da
atmosfera de um planeta extrassolar, o HAT-P-7-B, um Júpiter quente a 1000
anos-luz da Terra. Os próprios cientistas são quase unânimes a prever que em
dois anos no máximo será encontrado o primeiro planeta do tipo terrestre
dentro da zona habitável ao redor de sua estrela, onde a água líquida
essencial a vida como a conhecemos pode existir.
Ainda tivemos a confirmação, por cientistas ligados a NASA e utilizando as
mais modernas tecnologias não disponíveis anos atrás, de que parecem ser de
fato de origem biológica os vestígios anunciados pela agência, em agosto de
1996, como prova de vida marciana no meteorito ALH 84001. O tema sempre foi
motivo de polêmica dentro da comunidade científica, e parece agora
definitivamente esclarecido. Ou seja, nunca estivemos sozinhos!
O ano na Ciência ainda terminou com a publicação do Anuário de Astronomia
2010 pela Scientific American Brasil, com grande destaque para os planetas
extrassolares e inclusive com um guia das estrelas visíveis a olho nu com
planetas, e a edição de dezembro da National Geographic com o mesmo tema,
incluindo pôsteres com quase todos os exoplanetas conhecidos, e até mesmo
uma das primeiras fotos de um desses mundos, a do imenso planeta fotografado
ao redor da estrela Fomalhaut. Para guardar com carinho!

Nosso co-editor Renato Azevedo esteve em junho em Curitiba, conferindo o III
Fórum Mundial de Ufologia, área do conhecimento que teve um ano intenso. Não
houve a divulgação plena por parte do presidente Barack Obama como alguns
sensacionalistas apregoavam, mas a abertura mundial de documentos antes
classificados é uma realidade em muitos países. E, felizmente, nesse campo o
Brasil é um dos líderes. Na última divulgação, ocorrida em setembro, o
Arquivo Nacional em Brasília recebeu do Cendoc, o Centro de Documentação e
Histórico da Aeronáutica, 794 páginas de documentos relativos a casos de
objetos voadores não identificados registrados pela FAB durante os anos 80,
com grande destaque para a famosa Noite Oficial dos UFOs no Brasil, ocorrida
entre 19 e 20 de maio de 1986. Merece destaque o relatório assinado pelo
Brigadeiro José Pessoa Cavalcanti de Albuquerque, do Comando de Defesa Aérea
de 1986, dizendo o seguinte: “Os fenômenos observados são sólidos e refletem
certa forma de inteligência”. E agora, céticos? Dos documentos ainda fazem
parte casos envolvendo a Marinha, e os primeiros papéis antes classificados
como secretos. Além do Arquivo Nacional, os documentos podem ser baixados no
site da revista UFO.

Em quadrinhos não tivemos grandes destaques, mas vale destacar a belíssima
edição definitiva com capa dura de Watchmen, e a sequência da sensacional
Turma da Mônica Jovem. A saga O Dono do Mundo mostrou Cebola obcecado com um
novo videogame, numa história que na verdade discute os efeitos do vício, e
a trilogia Monstros do ID trouxe a mais sombria trama da turma até aqui,
mostrando os personagens combatendo seus próprios monstros internos,
monstros que estão dentro de cada um de nós. Como sempre excelentes, e
aguardamos novas sagas para 2010!

Na TV o fantástico permanece ocupando o lugar de destaque no qual merece
ficar. Os fãs se extasiaram quando o canal TCM reprisou a clássica V, A
Batalha Final, que por sinal é outra produção que passaremos a cobrar ser
lançada em DVD. Esperamos para os primeiros meses do ano a estréia no
Brasil, finalmente, da nova versão que já é sucesso nos EUA.
O ano viu chegar ao fim várias produções que mereceriam continuar, caso de
Terminator: The Sarah Connor Chronicles, e de Dollhouse de Joss Whedon. Em
compensação, a sensacional Fringe, de novo dele, J.J. Abrams, tem arrebatado
os fãs apesar da Warner teimar em não disponibilizar horários de reprise.
Quem perdeu durante o recente apagão (que “nunca mais” iria acontecer, não
é?), perdeu. Além de uma irritante demora em exibir os episódios de sua
primeira temporada, que terminou de modo absolutamente arrebatador com a
viagem de Olivia Dunham a um universo paralelo onde o World Trade Center não
foi destruído, e onde se abriga o chefão da Massive Dymanics, William Bell,
interpretado por Leonard Nimoy. Ver novamente Nimoy na TV levou ao delírio
os fãs. A segunda temporada de Fringe está em andamento, com episódios cada
vez mais intrigantes e sensacionais. O Arquivo-X da nova geração? Comparar
sempre é arriscado, mas a série felizmente melhora em qualidade a cada
semana.
Com a onda Crepúsculo nada mais natural que os vampiros invadirem também a
TV, e Vampire Diaries tem a grande vantagem de dispor de vampiros clássicos
(muitos fãs diriam “de verdade”), na história dos irmãos Salvatore que
melhora a cada episódio. Stargate Universe, a terceira série da franquia do
Portal Estelar, estreou com força total e já é sucesso com uma trama mais
sombria e voltada para as relações entre os personagens, sem abandonar os
momentos de humor que também fizeram a história de Stargate.
Mas falou de humor e chegou o momento de destacar aquela que provavelmente é
a série do ano: The Big Bang Theory! De cara a cena romântica do ano vai sem
sombra de dúvida para Penny e Leonard, quando o cientista traz para a amada
um único floco de neve do Pólo Norte encapsulado em um bloco de um polímero,
cuja composição ele obviamente quis explicar para a amada. “Vai durar para
sempre”, disse Leonard, e Penny ficou obviamente feliz com a volta do amado.
A partir daí, eles finalmente engataram o relacionamento tão aguardado pelos
fãs.
Já Sheldon foi novamente destaque total, e confiamos que muito em breve Jim
Parsons receberá seu mais que merecido Emmy. Absolutamente antológico o
episódio em que é tratada sua mortal inimizade com Will
Wheeeaaaaaatoooooooon!!! O episódio em que ele precisa cuidar de Penny, que
caiu no banheiro e deslocou o ombro, também está entre os melhores, também
comprovando que, além de maravilhosa, Kaley Cuoco mais e mais se torna
também uma excelente atriz. As tiradas de Sheldon já são clássicas e
repetidas a exaustão pelos fãs, e havia muito tempo não víamos tamanha
química entre atores e personagens em uma série. E claro, sem os
coadjuvantes de luxo, Howard e Raj, não haveria The Big Bang Theory. Viva o
Poder Nerd!
Enfim, como ficou claro foi um grande ano para nós do Aumanack, e esperamos
que nossos leitores também achem o mesmo. Para todos deixamos os votos de um
Feliz 2010 (O Ano em que Faremos Contato, como no título do filme
homônimo?), com muita paz, saúde e amor, e pleno de alegrias, realizações,
muito sucesso e claro, muita Fantasia e Ficção Científica! Até lá!

Vamos falar mais sobre o Superman

Adicione seu comentário VIA FACEBOOK

Powered by Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *