A volta ao mundo em 80 dias… e não é ficção!

A Zero Emission Race, corrida de carros elétricos ao redor do mundo que teve início na segunda, 16 de agosto em Genebra, Suíça, não tem um toque de Ficção Científica unicamente devido aos veículos futuristas que delam tomam parte, movidos a eletricidade, ou a seu formato e duração, evocando a famosa obra do mestre Julio Verne. Mas já chegaremos lá!


A Zero Emission Race foi elaborada por Louis Palmer, ambientalista e aventureiro suíço que em 2008 deu a volta ao mundo em um carro movido a energia solar. Com o SolarCar, Palmer levou 18 meses para percorrer 54.000 quilômetros. Ele defende que o uso de energias renováveis e os veículos movidos a eletricidade são a solução para proteger a ecologia do planeta.

Em novembro, os participantes da corrida estarão na Cidade do México, ao mesmo tempo em que será realizada uma conferência das Nações Unidas sobre mudanças climáticas. As quatro equipes são da Suíça, alemanha, Austrália e Coréia do Sul, mas o objetivo não é chegar primeiro, e sim fazer o percurso consumindo menos energia. E detalhe, como o objetivo é chegar a zero de emissões, cada equipe precisa gerar, em seu país, a mesma quantidade de energia consumida pelo veículo, utilizando-se obviamente de fontes como energia solar, eólica, de marés ou geotérmica. Por exemplo, o time sul-coreano Yebbuyana pretende consumir 84,7 watts-hora por quilômetro rodado. Como o percurso é de 30.000 km, a equipe terá que gerar, na Coréia do Sul, 2,54 megawatts-hora, que serão produzidos em Geon-nam por painéis solares.
Cada veículo deve ter capacidade de ao menos dois passageiros, e autonomia mínima de 250 km a 80km/h, e o percurso mínimo por dia é de 500 quilômetros.

As cidades visitadas ao longo do percurso incluem Berlim, Kiev, Moscou, Xangai Los Angeles, Cidade do México e Lisboa. No total devem passar por 150 cidades, promovendo em cada uma delas coletivas de imprensa e palestras de conscientização a respeito do cuidado com o meio ambiente.
As equipes são a Orlikon Solar Racing Team da Suíça, Power Plaza Team da Coréia do Sul, Team Trev da Austrália, e Vectrix Team da Alemanha. Clicando nos nomes vocês podem visitar o site de cada um. Mas logicamente, como fãs da boa, velha e querida Ficção Científica, vocês nossos leitores já devem ter reparado que uma das equipes merece muito destaque, pois seu veículo é a concretização de um dos mais alucinantes delírios do gênero!

Claro que estamos falando da equipe Orlikon e seu Zerotracer vermelho, que é praticamente a Lightcicle do primeiro Tron! O veículo é equipado com um motor elétrico de 135 kW, ou 183 HP, e é capaz de nada menos que 250 km/h de máxima! Visitando-se o site da equipe encontram-se todas as informações técnicas. Claro que umamoto toda fechada de duas rodas aparentemente teria problemas na hora de parar, o que é resolvido por um sistema que baixa duas rodas de apoio laterais. Elas ficam encaixadas e salientes na lateral quando o Zerotracer anda, então qualquer descuido não traz consequências para a integridade do veículo.
O Zerotracer é a versão elétrica do Monotracer, um veículo construído em pequena escala na Alemanha, por sua vez baseado em um protótipo dos anos 1980 chamado Ecomóvel (Ecomobile, se quiserem fazer a busca internaional no Google). Essa versão original era movida por um motor de moto BMW K100 de 4 cilindros, e já desenvolvia 250 km/h de velocidade máxima. Os dois tripulantes se sentam em assentos um atrás do outro, em uma cabine similar a de um avião de caça. O piloto comanda o veículo com um guidão de moto, tem pedais para embreagem e freio, e comandos elétricos para as rodas auxiliares. As versões atuais ainda utilizam o motor BMW 4 cilindros de moto, mas agora com 1.200 cilindradas. E existe o eTracer, versão elétrica da qual derivou o Zerotracer.

Gostou? O eTracer sai por 79.350 Euros, e para o Monotracer  sua carteira precisa estar recheada com 59.350 Euros. Tem razão, não deve ser tanto em vista do que deve ser dirigir um veículo tão próximo do que já vimos em um clássico como Tron, hein?

Adicione seu comentário

Powered by Facebook Comments

Deixe uma resposta