A cantora Anitta é a convidada do “Programa Com Bial” do próximo domingo, 11 de setembro, às 21h.  Criada em Honório Gurgel, no subúrbio do Rio de Janeiro, a estrela conta sobre a realidade no bairro de classe baixa da Zona Norte e a importância do funk nesse meio. “Imagina se você é uma criança que não tem muitas oportunidades, de um lado você tem abertura para roubar, fazer coisas erradas, do outro você pode cantar funk, subir no palco e ganhar dinheiro com aquilo. Acaba que ajuda um pouco, pode mudar a vida de muita gente”, explica.

Durante o bate papo, Anitta defende que o funk é uma expressão cultural que mostra a realidade e diz que não gosta da associação deste estilo musical ao machismo. Para ela, a questão está muito ligada à educação. Devido à escassez de oportunidades nos lugares de origem do ritmo, a cantora acredita que as pessoas tendem a unir os dois conceitos. “Eu acho que é um julgamento preconceituoso colocar a culpa do machismo no funk”, afirma. Perguntada sobre a parte de seu corpo que mais gosta, Anitta garante serem os olhos. Bial questiona então, o que os homens mais admiram nela. “Eles gostam mais da minha boca porque eu falo coisas incríveis para eles”, brinca.

Em junho deste ano, a artista participou de um dos principais festivais de música do mundo, o Midem, em Cannes, na França. Ao comentar o assunto, a carioca conta que existe sim o interesse de construir uma carreira internacional, tanto por parte dela como da gravadora “Warner Music”, mas garante que o projeto ainda está em fase de estudos. Ela acredita que o foco na carreira é a principal razão de seu sucesso. Desde que identificou a possibilidade de fazer do sonho de ser cantora uma profissão, vem trabalhando duro dia e noite. “Eu sou muito focada e quando tenho uma meta eu traço uma linha reta e não me permito sair desse caminho por nada”, garante.

Leia mais  Bela Gil prepara receitas com plantas alimentícias não convencionais (PANCs) no ‘Bela Cozinha’, no GNT

Ao ser questionada por Bial sobre a razão da escolha do nome artístico – o de batismo é Larissa –, ela explica que se inspirou na personagem principal da minissérie ‘Presença de Anita’. Sobre as cirurgias plásticas ela é enfática. “Fiz várias, nem sei quantas. Foi um combo de uma vez só. Tudo o que eu consertava no photoshop antes, eu consertei na vida real através da plástica. As pessoas rotulam, normalmente fazem um escarcéu e eu não entendo. Estamos no segundo país que mais faz plásticas e fica parecendo que só eu fiz no mundo”.

Após a exibição na TV, os episódios estarão disponíveis para o assinante a qualquer hora, em qualquer lugar. Basta acessar o GNT Play – gntplay.com.br – serviço de TV everywhere do GNT no Globosat Play, um produto que reúne os canais da programadora e seus respectivos programas. No GNT Play, a atração pode ser assistida em computadores, tablets, Xbox, smartphones com sistema iOS ou Android. Para ter acesso ao conteúdo diretamente da televisão, os assinantes podem acessar o serviço on demand da sua operadora.

Compre o livro na amazon: bit.ly/estradaparayellowrose

Adicione seu comentário VIA FACEBOOK

Powered by Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *