Crítica: 50 tons mais escuros


50shades1

E lá vamos nós em mais uma sequência do adaptação mais polêmica dos últimos anos.

Cinquenta tons mais escuros foi escrito por Niall Leonard, marido da autora E.L. James. E as duas sequências foram rodadas consecutivamente pelo diretor James Foley (House of Cards).

Este filme acontece 2 anos após a estreia do anterior, e sentimos que dessa vez o vendaval chamado Senhor Grey não causou tanto alvoroço nas redes sociais. Pelo menos até agora.

Para quem não sabe, Anastasia Steel está vivendo a sua vida simples e trabalhando como auditora de livros (ou caça novos autores), para títulos jovens. (Seria um alter ego da autora?).

Depois de uma reconciliação com o playboy milionário e algumas cenas de sexo apresentando alguns brinquedos novos que a autora descobriu em uma sexy shop, cruzam três novos personagens na vida do casal.

Elena Lincoln (Kim Basinger) a misteriosa mulher que ensinou Christian a fazer aquilo.

Jack Hyde (Eric Johnson) o chefe da editora que torna-se o arqui-inimigo de Grey e a submissa Leila Willians (Bella Heathcote) que no final é tão adestrada como um poodle.

Ana descobre um pouco do passado triste do seu amado milionário e tenta ajudá-lo a superar o seu trauma de infância.

Descobrimos que ele é um homem inseguro com muito dinheiro e extremamente ciumento e mimado.

O filme cumpre quase o que promete. As meninas adoram Grey e o ator  Jamie Dornan apesar de incrivelmente charmoso ainda não se sente confortável no papel. Para quem não sabe ele é protagonista da série The Fall e foi um dos destaques da série Once Upon a Time, mostrando-se um excelente ator dramático.

Comparado com o primeiro longa esse filme supera as expectativas, embora pode ser decepcionante para as meninas que Dornan (de novo) não mostre todo o seu potencial físico (será que vocês me entendem?) em cena.

Questionado sobre a ausência de nu frontal do galã ele responde. “Foi tanta cena de sexo que eu honestamente não me lembro se fiquei nu. Faz duas semanas que terminamos, minha memória é terrível”, riu o ator em entrevista à Vanity Fair. “Eu acho que injusto e entendo porque as mulheres teriam um problema com o fato de que elas estão mais expostas nesses filmes que nós. Há um gosto mais ativo pela nudez feminina, e isso não é justo, e pode ser gratuito muitas vezes”. É claro que tudo isso recheado de muita glamour, viagens caríssimas e uma trilha remasterizada pop.

Com dois pesos e duas medidas seria injusto considerar esse filme ruim comparado com o anterior. Existem momentos na trama que mereciam uma revisão e um complemento no roteiro, o que aumentaria e muito a qualidade dramática. Não sabemos se existe essas cenas noslivros ou se foram cortadas propositalmente. Devo dizer que faltou ousadia em seguir adiante. Como se a autora tivesse medo de desenvolver um elo dramático aos personagens. Vou dar dois exemplos: Se você não se importa com spoiler é por conta e risco. Tem certeza. Então lá vai.


Quando Jack Hyde agarra Ana no escritório eu imaginei várias coisas que poderiam ter acontecido em seguida, como por exemplo. – Jack amarrar Ana em uma cadeira. Sequestrá-la e levá-la para algum lugar pedindo uma grana para o Grey. Qualquer coisa, menos ela simplesmente sair correndo e pedir ajuda ao namorado que está do lado de fora.

Outro momento que merecia um pouco mais de drama. Quando Grey sofre o acidente com o helicóptero e surge como mágica na sala de jantar da sua casa. Aliás essa foi a cena mais constrangedora do longa. Por quê não colocaram um pouco mais de feijão nessa ideia e não deixaram o milionário desaparecido por mais um dia, quem sabe colocando Jack ou a maluca da Leila como suspeitos e algo do tipo. Simplesmente tudo se resolve de uma maneira muito simples e preguiçosa.

Não sabemos como tudo isso é mostrado no livro, mas no filme deu-se a impressão que o gás acabou e tudo ficou por ali mesmo.

No geral, sim o filme não é merecedor do Oscar mas supera o anterior. No próximo eu quero mais Dornan lindão e menos Anastasia para o bem das meninas, é injusto. Até o Hugh Jackman como Wolverine ficou mais tempo em tela que Grey, e olha que foram segundinhos.

Ainda em tempo, Jamie Dornan fica lindo com barba “amanhecida”. Sem barba ele fica mais com expressão de “nenén”.  Sou a favor de um Grey barbado e selvagem. E aí meninas?

50shades2

 

 

Artigos relacionados

Famosos vão a pré-estreia de 50 tons mais escuros ... No dia 8 deste mês celebridades e convidados participaram da pré-estreia do filme 50 tons mais escuros no Shopping JK. Confira abaixo a nossa ...
Universal Pictures e Ingresso.com inovam com a ven... AÇÃO ACONTECE EM PARCERIA COM O FACEBOOK, EM INICIATIVA INÉDITA NO BRASIL Os fãs de Christian Grey e Anastasia Steele não precisam mais esperar pa...
Jamie Dornan | negocia papel em mais um longa de R... Jamie Dornan em New Worlds Atualmente Jamie Dornan é conhecido como Mr. Grey em 50 tons de Cinza, mas a diversidade sempre deu tom ao seu trabalho...
50 tons de Cinza | perde seu protagonista Atenção fãs da série ‘Cinquenta Tons de Cinza’! Não esperem o retorno do ator Jamie Dornan para um possível quarto filme da franquia. Com contr...
Lançamento oficial da nova linha de brinquedos Sta... FORCE FRIDAY II MARCADA PARA 1º DE SETEMBRO DE 2017   Começou a contagem regressiva para o lançamento dos produtos de “Star Wars: The Last Jedi” ...

Adicione seu comentário


Powered by Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *