Crítica: Nós já assistimos Kong: Ilha da Caveira


Não mexa com que tá quieto.

Com 84 aninhos, mais de 10 filmes no currículo, bem vividos este personagem figurinha carimbada dos monstros do cinema clássico volta em uma roupagem mais moderna, mas com a simplicidade dos antecessores.

Em uma história que tem em comum com o original somente um ilha, monstros e um macaco gigante a Warner ressuscita esse grandalhão protetor de uma ilha no meio de algum lugar no pacífico.

Percebi a algum tempo que a Warner assumiu de vez a característica de colocar em praticamente todos os seus novos filmes uma introdução tipo documentário, histórico, com um flashback ou algo do tipo em seus filmes. É tão marcante e previsível quanto à música da Twenty-Century Fox como sinônimo para a franquia de Star Wars.

Jordan Vogt-Roberts entra para o hall dos diretores que assumem esta direção e faz homenagens aos grandes clássicos do cinema como Apocalypse Now, Platoon e mais uma dezena de filmes de guerra. Aliás, se não fosse pelo título os primeiros 20 minutos teríamos a nítida impressão que estávamos assistindo este tipo de filme.

Vale lembrar uma história pessoal quando em 1978 esta pessoa que escreve entrou em uma sessão por enganos de King King e só descobriu que estava vendo o filme errado quando o macacão apareceu em cena. Daí não adiantava sair da cadeira.

Mas hoje em dia dificilmente uma pessoa vai ao cinema e entra em uma sala por engano e o gigantão está bem aí para dar o pontapé inicial do jogo bem no comecinho.

Como foi mostrado no trailer, Samuel  L. Jackson é Preston Packard e é quem comanda um grupo de exploradores até a ilha para descobrir o mistério que existe naquele local.

Tom Hiddleston é James Conrad um rastreador que faz ás vezes de Han Solo na trama (quem assistir vai ver a certa semelhança principalmente no começo), e a charmosa Brie Larson como a fotógrafa Mason Weaver. E não espere uma inocente moça, um galã apaixonado e um macaco encantado pela “beleza” da mocinha. (Apesar de termos alguns clichês inevitáveis)

Vale a pena destacar que não é a primeira vez que Kong enfrentar monstros pré-históricos naquela ilha nada pitoresca. Cercada dos mais bizarros bichos que nem a mais cruel imaginação poderia imaginar. Mas um spoiler light necessário, se você tem sensibilidade para gosmas nojentas, aranhas gigantescas e coisas do tipo, então é bom se prevenir para não ser pego de surpresa. Nada de T-Rex ou piterodaptero, prepare-se para criaturas novas e mortais.

Tom Hiddleston e Brie Larson formam uma dupla (isso mesmo que você leu, eles não têm nenhum envolvimento romântico), bastante interessante, e cumprem o seu papel passando até bastante credibilidade. Se houver uma continuação vai ser fácil torcer para que fiquem juntos.

Já o comandante Preston de Samuel L. Jackson é o típico “vilão” que é difícil odiar. Talvez seja por causa do carisma de Mr. Jackson que é difícil de associar a uma pessoa má.

Os outros atores cumprem o papel de peões em toda a trama, algo previsível para uma obra que já sobreviveu a umas três gerações.

O 3D não chega a assombrar, mas vale o ingresso, mas o que vale mesmo o ingresso é a caracterização de toda a trama na década de 70. É tão interessante notar que já se foram 40 anos e que essa época já faz parte de uma época que está logo aí do lado.

Em tempo, no final há uma cena extra que vale a pena ver, e que vai deixar os fãs malucos, é um filme pipoca que não tem pretensão de ganhar Oscar, só de criação ou efeitos especiais, mesmo que as expressões do grandão estejam um pouco mais duras do que as apresentada por Peter Jackson em 2005.

Outra característica que vale o ingresso é a trilha sonora caprichada e pontual. Confira a lista

Paranoid / Black Sabbath

Ziggy Stardust / David Bowie

Run Through the Jungle / Creedence Clearwater Revival

Bad Moon Rising / Creedence Clearwater Revival

We’ll Meet Again / Vera Lynn

Down On the Street / The Stooges

Long Cool Woman (In a Black Dress)/ The Hollies

White Rabbit / Jefferson Airplane

Mat Troi Den / Minh Xuân

Time Has Come Today / The Chambers Brothers

A trilha sonora original é composta por Henry Jackman

 

Confira a lista de alguns títulos com o macacão simpático.

1933 : King Kong, de Merian C. Cooper e Ernest B. Schoedsack
1933 : The Son of Kong
1962 : Kingukongu tai Gojira, de Ishirô Honda e Thomas Montgomery
1967 : Kingukongu no gyakushu, de Ishirô Honda
1976 : King Kong, de John Guillermin
1986 : King Kong Lives, de John Guillermin e Charles McCracken
2005 : King Kong, de Peter Jackson
2017 : Kong: Skull Island, de Jordan Vogt-Roberts

 

 

 

 

 

Powered by flickr embed.

 

Sobre o filme

Os produtores de “Godzilla” recriaram as origens de um dos mais poderosos monstros mitológicos emKong: A Ilha da Caveira, da Warner Bros. Pictures, Legendary Pictures e Tencent Pictures.  

Esta aventura fascinante e original do diretor Jordan Vogt-Roberts (“Os Reis do Verão”) conta a história de uma diversa equipe de cientistas, soldados e aventureiros que se unem para explorar uma ilha mítica e intocada no oceano Pacífico, tão bela quanto perigosa. Longe de tudo e todos que podem os ajudar, a equipe se aventura no território do poderoso Kong, dando início à maior das lutas entre o homem e a natureza. Quando sua missão de descoberta se transforma em uma missão de sobrevivência, a equipe deve lutar para escapar de um paraíso primitivo ao qual a humanidade não pertence.

Em 2017, todos saúdam o Rei.

Kong: A Ilha da Caveira é estrelado por Tom Hiddleston (“Os Vingadores”, “Thor: O Mundo Sombrio”), Samuel L. Jackson (indicado ao Oscar por “Pulp Fiction – Tempo de Violência”, “Vingadores: Era de Ultron), John Goodman (“Transformers: A Era da Extinção”, “Argo”), a vencedora do Oscar Brie Larson (“O Quarto de Jack”, “Descompensada”), Jing Tian (“Em Nome da Lei”), Toby Kebbell (“Planeta dos Macacos: O Confronto”), John Ortiz (“Steve Jobs”), Corey Hawkins (“Straight Outta Compton – A História do N.W.A.”), Jason Mitchell (“Straight Outta Compton – A História do N.W.A.”), Shea Whigham (“O Lobo de Wall Street”), Thomas Mann (“Eu, Você e a Garota que Vai Morrer”), com Terry Notary (“Planeta dos Macacos: O Confronto”) e John C. Reilly (“Guardiões da Galáxia”, indicado ao Oscar por “Chicago”).

Vogt-Roberts dirigiu o filme a partir de um roteiro de Dan Gilroy, Max Borenstein e Derek Connolly, com história de John Gatins. Kong: A Ilha da Caveira é produzido por Thomas Tull, Mary Parent, Jon Jashni e Alex Garcia. Os produtores executivos são Eric McLeod e Edward Cheng.

A equipe de criação nos bastidores incluiu o diretor de fotografia Larry Fong (“Batman vs Superman – A Origem da Justiça”), o designer de produção Stefan Dechant (supervisor de direção de arte em “Bravura Indômita”, “Avatar”), o editor indicado ao Oscar Richard Pearson (“Voo United 93”, “Protegendo o Inimigo”, “A Supremacia Bourne”), a figurinista Mary Vogt (dos filmes “Homens de Preto”) e o compositor Henry Jackman (“Capitão América: Guerra Civil”). A equipe também incluiu o supervisor de maquiagem vencedor do Oscar Bill Corso (“Desventuras em Série, Star Wars – O Despertar da Força”) e o coordenador de dublês George Cottle (“Interstelar”, “Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge”). A tarefa de dar vida ao Kongcoube à Industrial Light & Magic, com o supervisor de efeitos visuais duas vezes vencedor do Oscar Stephen Rosenbaum (“Avatar”, “Forrest Gump – O Contador de História”).

Para levar o público à misteriosa Ilha da Caveira, o diretor Jordan Vogt-Roberts, seu elenco e equipe filmaram em três continentes durante seis meses, capturando as paisagens principais na ilha de Oahu, Havaí – onde as filmagens começaram – na Costa Dourada da Austrália e, por fim, no Vietnã, com filmagens realizadas em diversas locações, algumas das quais nunca antes vistas em filme.

A Warner Bros. Pictures/Legendary Pictures e a Tencent Pictures apresentam Kong: A Ilha da Caveira, uma produção da Legendary Pictures Production, um filme de Jordan Vogt-Roberts. O filme será lançado em 2D e 3D, em salas selecionadas; e IMAX, com lançamento mundial em 10 de março e data de estreia no Brasil prevista para 9 de março, pela Warner Bros. Pictures, uma empresa da Warner Bros. Entertainment.

 

Artigos relacionados

A batalha final por Mystic Falls: A oitava tempora... Aclamada série também chega em box exclusivo da Saraiva, trazendo a série completa em 38 discos É chegada a hora de se despedir dos vampiros mais i...
Liga da Justiça | Ciborgue e Flash são destaques n... Confira vídeo legendado. https://youtu.be/WTBHzYwW0m8   Alimentado por sua fé restaurada na humanidade e inspirado pelo ato de altruísmo...
Quatro aventuras, muitos heróis: Batman, Arlequina... Liga da Justiça Sombria, Jovens Titãs: O Contrato de Judas, Vixen e Batman e Arlequina já estão disponíveis em DVD e formatos digitais O universo D...
AS CRÔNICAS DE CISCO | Websérie estreia no feriado... Animação VIXEN estreia hoje com história de heroína das séries ARROW e FLASH São Paulo, 10 de outubro de 2016 – Inteligente e atrapalhado, o ne...
Inscrições abertas para a Liga Latina de Injustice... “Jogadores brasileiros disputarão R$ 25 mil em prêmios e vaga na final global da Injustice Championship Series que será transmitido com exclusiv...

Adicione seu comentário


Powered by Facebook Comments

Written by 

Jornalista e Diagramadora, trabalhou por 9 anos na Editora Meio & Mensagem, por 6 anos na Editora OnLine produzindo os produtos licenciados como Harry Potter, Star Wars, Transformers, Hulk, Homem-Aranha, My Litte Poney, Ben 10, Revista Rebeldes, Yes Teen e mais de mil revistas. Na editora Mythos como freelancer foi responsável pelas capas dos quadrinhos TEX entre outros. Desde 2004 é editora de conteúdo e marketing do site Aumanack. Também conhecido por: Sol Curte: Star Wars, Smallville, Ultras, A Princesa e o Cavaleiro, Arquivo X. Contato: aumanack@aumanack.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *