Posts Relacionados

Existem filmes que o espectador tem a necessidade de assistir aos filmes anteriores, ler algum livro, quadrinhos e até mesmo ter jogado algum game para entender a franquia. Outros, são feitos iniciando-se no episódio IV (Star Wars), para depois ser lançado os três primeiros e os novos fãs não precisam necessariamente ter visto os outros 3. Pode até parecer confuso, mas quando explicado, fica tudo simples.

O mesmo acontece com a franquia de Senhor dos Anéis. O fã pode ver os filmes dos livros Sociedade do Anel até O Retorno do Rei ou ver os três primeiros do Hobbit que não farão problema algum ao entendimento dos filmes. E até mesmo para os livros. O leitor pode começar pela Sociedade, As Duas Torres e o Retorno do Rei, para ler O Hobbit (onde tudo começa), sem problema!

Já com a série Planeta dos Macacos, isso é um pouco mais complexo. Ainda mais se você tem menos de 40 anos e só conheceu os dois novos filmes da saga de Cesar.

A “linha do tempo” de Planeta dos Macacos possui linhas alternativas e um filme que não se liga a nenhum outro filme. Então, senta aí que vamos explicar direitinho para você!

Planeta dos Macacos – 1968 a 2017

Para ficar mais fácil e não acabarmos com a surpresa, iremos utilizar as sinopses dos filmes e não daremos nenhum spoiler! Além de uma explicação breve sobre cada acontecimento.

Planeta dos Macacos (1968)

O astronauta americano George Taylor vai parar por acidente em um planeta habitado por macacos. Os animais dominam o lugar, escravizando os seres humanos, inclusive George e os tripulantes da nave. Agora, o astronauta terá que lutar pela sua liberdade e os outros.

Data de lançamento: 13 de junho de 1968

Ano no filme: 3.978

Na trama, George Taylor, interpretado por Charlton Heston, deixa a Terra em 1972 e pousa em 3978. Temos essa data por causa das informações presentes em sua nave, a Ícaro.

Quando ele pousa, ele fica totalmente perdido em um Planeta de Macacos, onde os humanos são escravos dos Símios e não falam. Fica aqui registrado a surpresa dos Macacos quando George xinga eles quando capturado e o grande final do filme!

Acima, esse sim foi o primeiro beijo interracial. Estamos falando de raças. E Kirk e Uhura são da mesma espécie, humana. Logo abaixo, o elenco do filme e um modelo em papercraft da Icaro.

De Volta ao Planeta dos Macacos (1970)

O astronauta Brent sai em missão de resgate ao colega Taylor, e precisa atravessar uma linha do tempo para o futuro e chegar ao planeta onde ele desapareceu. O planeta do futuro foi dominado pelos macacos e os homens vivem no subterrâneo.

Data de lançamento: 1 de maio de 1970

Ano no filme: 3.955

Para quem acha que Star Wars que iniciou as sequências, pois bem, está muito enganado. Planeta dos Macacos iniciou isso praticamente uma década antes.

Como descrito na sinopse um grupo de resgate é enviada para ir em resgate Ícaro. Ao chegarem no Planeta dos Macacos, os astronautas descobrem um pequeno grupo de humanos com poderes psíquicos que vivem no subsolo e adoram uma ogiva nuclear. Como deu para perceber, o ano é bem antes do primeiro filme. Que pode ser interpretado por eles terem descido anos antes por um erro de cálculo e a história acontecer quase “simultaneamente” com o primeiro filme ou ser realmente um erro da produção.

Brent and Nova are taken prison by a group of human mutants who live underground, beneath the planet of the apes. They have telepathic powers and worship the atom bomb in St. Patrick’s Cathedral.

Os humanos com poderes e a tão adorada bomba. Lembrando que este filme acontece na época da Guerra Fria e a bomba foi uma crítica contra os EUA e URSS que tanto adoravam o seu poderio nuclear.

Fuga do Planeta dos Macacos (1971)

Os símios Cornelius e Zira retornam no tempo para escapar da destruição de seu mundo e chegam à Los Angeles do século 20, onde são tratados como curiosidades. Mas logo são perseguidos pelo governo, que pretende evitar o nascimento do bebê de Zira.

Data de lançamento: 21 de maio de 1971

Ano no filme: 1973

Neste terceiro filme lançado rapidamente, os cientistas símios Zira (Kim Hunter) e Cornelius (Roddy McDowall), escapam do apocalipse nuclear e usam a nave espacial Ícaro (ela como os dróides de Star Wars, está em todos os filmes), para voltar no tempo até o ano de 1973, um ano depois do lançamento da Ícaro que foi em 1972. Quando eles conseguem voltar, tornam-se celebridades, mas logo são capturados para fornecerem informações sobre o futuro. Eles têm um filho chamado César (já viram esse nome?), que o escondem para que ele possa crescer em segurança. Aqui obviamente, a linha do tempo é mudada, pois quem teve um professor que dirige um DeLoren, sabe que não se deve mudar o passado. Além do que, antigamente roteiristas e produtores não se importavam muito com linhas do tempo e os problemas que isso poderia trazer a uma franquia. Deveriam ter assistido um pouco de Dr Who.

O ator Roddy Mcdowall, além de ter interpretado Cornelius, fez também o personagem “Peter Vincent” no filme “A Hora do Espanto” (1985)

A Conquista do Planeta dos Macacos (1972)

No futuro, os macacos são domesticados e tornam-se animais de estimação. Mas as condições de vida dos símios instigam César, um primata altamente desenvolvido, a liderar uma revolta colossal contra seus opressores humanos.

Data de lançamento: 29 de junho de 1972

Ano no filme: 20 anos após a chegada de Cornelius e Zira no passado.

Uma praga exterminou os cães e os gatos da face da Terra, o que fez com que os macacos se tornassem animais de estimação. Eles são tratados como escravos, o que revolta Cesar (Roddy McDowell), o filho de Cornelius e Zira, que perdeu os pais ainda cedo e foi criado pelo dono de um circo. Ele passa a liderar uma rebelião dos macacos contra os humanos. A grande discussão neste filme é realmente a escravidão. Uma crítica para a sociedade de forma bem direta e uma maneira de levantar novamente a franquia.

A Batalha do Planeta dos Macacos (1973)

Após uma guerra nuclear, a Terra é governada por macacos altamente evoluídos, que convivem em harmonia com os humanos sobreviventes. Entretanto, alguns deles descobrem como entrar na cidade dos macacos e bolam um plano para retomar o planeta.

Data de lançamento: 15 de junho de 1973

Ano no filme: Aproximadamente 600 anos no futuro pós o filme A Conquista.

Voltar no tempo teve suas consequências. E nesse quinto filme, já passamos Star Wars!, A Batalha do Planeta dos Macacos acontece 10 anos depois dos acontecimentos do filme anterior. A história começa (os 600 anos aqui), com um sábio símio contando a história de como tudo iniciou. Devido ao retorno para o passado pelos cientistas símios e o nascimento de Cesar, temos uma linha do tempo alternativa, totalmente diferente do primeiro filme feito por Heston, pois macacos e humanos vivem em harmonia. Nesta linha do tempo, Cesar ensina aos seus seguidores que humanos não devem ser escravizados. Já dá para perceber de onde tiraram a ideia do Cesar da nova trilogia.

Novamente a crítica a Guerra Fria. Onde temos o confronto entre os dois lados, Capitalista e Comunista. Em vez de colocar humanos e símios contra o outro, o filme tenta mostrar que dá para existir a existência entre pensamentos diferentes.

Série de TV (1974) – Ano dos acontecimentos, 3.085.

O seriado, criado pela CBS, foi muito bom e traz mais lembranças aos fãs do que os filmes. Principalmente pelos vários repetecos na década de 1980. Para não ter problema com a linha do tempo dos filmes, a série é mais focada antes do primeiro filme.

E ela mantém os acontecimentos da nova linha do tempo com o nascimento de Cesar.

Nesta história, três astronautas voltam de uma missão no espaço e descobrem que viajaram no tempo. Um deles morre na aterrisagem. O planeta Terra não é mais dominado pela raça humana, mas sim pelos macacos. No topo da nova estrutura social da Terra estão os orangotangos: legisladores, políticos e sábios. Logo abaixo, veem os gorilas: soldados fortes e ferozes. Os chimpanzés ficam em terceiro plano, cuidando do trabalho pesado e em alguns casos de pesquisas em laboratórios ou como antropólogos e veterinários, estudando os humanos que sobraram.

Apenas o doutor Zaius, um orangotango e o general Urko, um gorila, sabem do passado do planeta Terra. Os outros símios não sabem que o planeta, no passado, foi dominado pelos humanos. Isso até a chegada dos astronautas Virdon e Burke, que contam sua história a um chimpanzé, veterinário, chamado Galen, assistente do doutor Zaius, que auxiliá-os a fugir. Mas os chimpanzés mais conhecidos da saga são Cornélius e sua companheira, Zira. Os dois decidem auxiliar os humanos e participam de suas aventuras em busca do que sobrou da tecnologia humana.


A série fez tanto sucesso que inspirou a criação de um desenho animado, em 1975, chamado “De volta ao Planeta dos Macacos” que foi apresentado no Brasil, pela Rede Globo, no final dos anos 1970.

E vale destacar, que os humanos, nesse novo cenário, são escravos e cobaias de experiências científicas.

A linha do tempo antes de tudo – A trilogia

O Planeta dos Macacos: A Origem (2011): Uma experiência científica resulta em um chimpanzé com uma inteligência superior que acaba liderando uma rebelião contra os humanos para dominar o planeta Terra.

Data de lançamento: 26 de agosto de 2011

Aqui é onde começa tudo. Se você quer assistir de uma maneira linear, deve começar pela Origem, O Confronto e A Guerra (que chega nos cinemas em agosto deste ano, 2017) e depois conferir os clássicos, além dos quadrinhos. Lembrando que o livro A Guerra, pode ser lido antes do filme de mesmo nome ou depois, já que ele conta os acontecimentos pós O Confronto.

Algumas pessoas o colocam como um remake do filme original de 1972, o que totalmente errado. Pois a história acontece nos dias atuais. Mas podemos colocar como uma nova história, já que os acontecimentos pós primeiro filme, praticamente não contam. Por quê?

Pelo simples motivo que nesta história, chamada de A Origem, temos como tudo começou, ou seja, a ascensão de César e seus seguidores que levará ao fim da humanidade.

Planeta dos Macacos: O Confronto (2014): Dez anos após a conquista da liberdade, César lidera uma nação de macacos geneticamente evoluídos, que está sendo ameaçada por um grupo de humanos sobrevivente de um vírus mortal.

Data de lançamento: 24 de julho de 2014

Ano no filme: 10 anos após os acontecimentos de A Origem.

Neste segundo filme da Saga de César, os humanos foram praticamente dizimados pela gripe símia. A sociedade como a conhecemos, não existe mais. Os humanos culpam os macacos pelo que aconteceu, sendo que a culpa é totalmente da própria humanidade.

Andy Serkis (Gollum, Vingadores, Pantera Negra), volta ao papel de Cesar, onde ele lidera um grupo de Macacos. Cesar defende a convivência entre humanos e símios, mas Koba, seu antagonista é totalmente contra, e aqui inicia-se a disputa pelo poder.

Planeta dos Macacos: A Guerra (2017): César e seu grupo são forçados a entrar em uma guerra contra um exército de soldados liderados por um impiedoso coronel. Depois que vários macacos perdem suas vidas no conflito, César luta contra seus instintos e parte em busca de vingança. Dessa jornada, o futuro do planeta poderá estar em jogo.

Data de lançamento: 14 de julho de 2017 (Agosto no Brasil)

Nesta história, fecha a Saga de Cesar. Apenas o que temos até este momento que esta linha do tempo foi escrita, são os trailers e nada mais. E também que este será o último filme com Cesar. Se teremos uma releitura com um título Ascensão ou não, apenas o tempo dirá.

Uma linha do tempo totalmente “fora do tempo”

Planeta dos Macacos (2001 – Tim Burton)

Depois de sofrer um acidente com sua espaçonave, Leo Davidson consegue chegar a um planeta diferente, aparentemente cruel, onde seres humanos são caçados e escravizados por primatas e têm de se esforçar muito para conquistar seus meios de subsistência. Ao ver tudo aquilo, Leo fica indignado com a opressão imposta aos humanos. Ele logo propõe uma revolução, tornando-se uma enorme ameaça ao status quo do planeta.

Data de lançamento: 3 de agosto de 2001

O filme pode ter sido criticado pelos fãs, mas o visual era sensacional.

Esta foi uma tentativa de trazer a franquia de volta. O que podemos dizer foi que conseguiu. Mas não teve nenhuma continuação e não é válida para a linha do tempo de nenhum dos filmes.

Este longa é uma adaptação do romance homônimo de Pierre Boulle. Neste filme estrelado por Mark Wahlberg, mesmo tendo o final mais parecido com o do livro, foi duramente criticado pelos fãs. Mesmo assim, graças aos deuses dos produtores, 10 anos depois tivemos Planeta dos Macacos: A Origem.

Conclusão

Como pode ser visto, as histórias mostram como os macacos se tornaram tão inteligentes. Essa trilogia de início praticamente leva a linha do tempo do primeiro filme de 1968 com Charlton Heston. O que a torna como a linha do tempo original. Pode até ter algumas discussões sobre isso, mas ninguém pode dizer que não seja. A final nesta história, ninguém falou sobre o retorno de dois cientistas símios.

Outro ponto positivo para essa história que começou com A Origem, é perceber que a produção se atentou a muitos pontos apresentados nos filmes e seriados. A terapia genética pelo qual passa Cesar, é uma delas, que é o tema central do seriado de 1974.

O que podemos esperar em Planeta dos Macacos: A Guerra, é conferir como os macacos finalmente dominaram o nosso planeta e os humanos foram parar nos subterrâneos. E se existirá uma sequência já sem o Cesar, isso ninguém sabe.

E que subam as cortinas! Até a próxima!!!

E compartilhe com os seus amigos!

Algumas frases dos filmes

“Seus Maníacos! Vocês acabaram com tudo!” – Charlton Heston no primeiro filme.

“Tire suas patas fedorentas de mim, seu maldito macaco sujo.” – Quando o personagem de Heston é capturado no primeiro filme e os Macacos ficam espantados que um humano fala.

“Todo humano bom, é um humano morto” – Até Star Trek utilizou a frase, de uma maneira diferente, mas usou!

 

 

 

Compre o livro na amazon: bit.ly/estradaparayellowrose

Compre o livro na amazon: bit.ly/estradaparayellowrose

Adicione seu comentário VIA FACEBOOK

Powered by Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *