Posts Relacionados

Star Trek Discovery chegou para ficar. Isto é uma certeza! A série até tem seus problemas “tecnológicos” que não deveriam existir antes da série Original de Star Trek, com Kirk e companhia. Mesmo assim, ela tem um roteiro sólido e um ótimo elenco.

Espera! Escrevi elenco? Perdão.

Os únicos do elenco serão a Primeira Oficial Michael Burnham e o tenente Saru. Como assim?

Simples! Os dois primeiros episódios de Star Trek Discovery são apenas uma introdução a tudo o que virá. A série só começa na próxima semana pelo episódio 3.

Por ser uma história que acontece 10 anos antes das viagens da saudosa Enterprise, Discovery até poderá (especulação), trazer os jovens Kirk, Spock e McCoy para participações especiais. Imagine só isso acontecendo como não seria fantástico!

Outro ponto curioso, é que a nave U.S.S. Shenzhou que está nos dois primeiros episódios, realmente existiu. Shenzhou é a nave espacial projetada no âmbito do programa espacial chinês. Seu projeto é baseado na nave russa Soyuz, o que sugere a participação de técnicos russos na sua concepção. Tal como a Soyuz, a Shenzou possui três módulos: orbital, de reentrada e de serviço. A principal inovação da nave chinesa fica por conta do módulo orbital possuir painéis solares próprios, o que lhe permite a manutenção do seu funcionamento no espaço após o retorno dos taykonautas (nome dado para os astronautas chineses). Com o lançamento bem sucedido da Shenzhou, a China tornou-se o terceiro país do mundo, ao lado da Rússia e dos EUA, a deter tecnologia para levar seres humanos ao espaço, à frente, portanto, da Europa.

E aí Discovery já mostra que o espírito de Star Trek está nesta série. A cooperação entre povos e sua homenagem ao programa espacial Chinês.

Estes dois primeiros episódios foram apenas um prólogo do que está por vir. A história em si, só será conhecida na próxima semana. O que temos até o momento é que a Federação não sabia nada a respeito dos Klingons há cerca de 100 anos. E que o Império Klingon está separado, mas agora as 24 casas irão se juntar por um objetivo comum: Destruir a Federação.

Não dá para saber ainda como irá ser a história desses Klingons. Se teremos muitas lutas internas, conspirações e sangue.

O que temos, é uma verdadeira obra visual. Não que o roteiro seja ruim. De forma alguma. Não podemos ainda definir os passos por tudo o que foi colocado já que a Discovery teve apenas uma breve introdução.

Mas o visual, já está garantido. Ele segue os padrões dos filmes de J.J Abrams e mostra o carinho dos produtores com os efeitos especiais, jogos de câmeras e o figurino dos personagens.

Uma mudança, até que bem vinda, é que Discovery diferente das séries de Star Trek, não terá episódios com começo meio e fim. Será desenvolvido como Game of Thrones, onde seu “plot“, ou seja, histórias que irão se desenvolver em capítulos até chegar no final da temporada. Além disso, esta nova série não abordará tanto a exploração espacial como os fãs estão tão acostumados.

Será mais voltada as batalhas, a Federação contra o Império Klingon. Isto até pode ser um ponto a levar os Trekkers (Fãs da série), a torcer o nariz. Só que devemos lembrar que estas histórias de batalhas fazem parte da história da série, portanto, elas devem ser contadas.

E vale destacar que se você chegou agora e nunca viu nada de Star Trek, essa é uma boa oportunidade de conhecer este universo.

E que subam as cortinas! Até a próxima!

Compre o livro na amazon: bit.ly/estradaparayellowrose

Adicione seu comentário VIA FACEBOOK

Powered by Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *