Posts Relacionados

Bruce Lee (Philip Ng), lendário lutador de artes marciais, e seu rival, o mestre de Kung Fu Wong Jack Man (Yu Xia), tentam resolver suas divergências em uma luta sem regras. O combate se tornará o mais importante e emblemático duelo da carreira do futuro grande lutador e ator de cinema, um marco fundamental em sua trajetória.

Leia nossa matéria sobre os bastidores do filme.

A Origem do Dragão chega aos cinemas nacionais bem atrasado, mas pelo menos está aí.

Diferente de todos os filmes anteriores contando a história e o legado de Bruce Lee, este filme conta uma história inédita e que muitos não conhecem. Como Bruce criou a sua filosofia e o seu estilo, o Jet Kune Do.

É interessante e curioso para os leigos nas artes marciais, que um estilo possa ter filosofia. E ele tem. Até meados do século passado, o karatê, o Kung Fu e outras artes de origem oriental, eram passadas de geração a geração. Ou apenas ensinada para o seu próprio povo.

Bruce Lee é um daqueles que rompeu com as tradições, ensinando aos ocidentais a arte chinesa de luta e em seguida quebrando novamente com as regras ao transpor os limites definidos no estilo de luta. E assim nascia as artes mistas de artes marciais, que tantas pessoas adoram ao assistir o MMA, UFC etc.

Para quem desconhece, ninguém sabe quem realmente venceu esta luta. Mas o importante neste filme, nem mesmo é o embate em si. É vermos um Bruce diferente, mais egocêntrico e até mesmo chato. Diferente daquele filósofo e com ensinamentos sobre humildade que os filmes nos cansam de mostrar.

Outro ponto interessante, é que Bruce não aparece tanto neste filme. O maior destaque fica para o monge Wong Jack Man. Ele não é um desafio para Bruce Lee como muitos esperam. Ele é o professor, que ensina de uma maneira diferente, fazendo com que o aluno aprenda por si.

O professor deve apenas mostrar o caminho. Seguir pela jornada, cair e se levantar, é com o aluno.

Este não é um filme clássico e até mesmo voltado para o cinema. É algo mais home vídeo, para se ver em casa com a família. Mesmo assim, vale a pena ir até o cinema neste final de ano e ver algo diferente que não fale sobre o Natal.

E lembrando, que este filme é apenas uma dramatização. Nada do que acontece, mesmo a luta, é real. Pois como escrito no início, ninguém sabe quem venceu.

E que subam as cortinas. Até a próxima!

Vamos falar mais sobre o Superman

Adicione seu comentário VIA FACEBOOK

Powered by Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *