Posts Relacionados

Super-herói aposentado e diretor de uma escola, o lendário Raio Negro tem de voltar à ativa quando uma gangue começa a ameaçar sua família.

Como diz a música, ele está de volta!

Mas não que algum dia tenha tido alguma série na TV e depois cancelada para poder retornar. Mas sim o herói! O personagem com poderes elétricos criado por Tony Isabella e Trevor Von Eden, vem direto das HQs da DC para as telas.

Ainda confundido com o Super Choque (Static Shock), este personagem é muito mais “violento” na hora de se fazer justiça.

Não iremos contar a história de origem do personagem nas HQs para não estragar para quem está conhecendo a história pela primeira vez através da NetFlix. Agora se tiver interesse, segue um vídeo com a origem do Raio Negro, sobre a diferença com o Super Choque e outro super-herói de mesmo nome da Editora Marvel, feito pelo canal Jujuba Atômica!

A série começa muito bem. Com fortes dosagens sobre violência e o poder das gangues que tomaram conta da cidade de Freeland, onde a população não confia mais na Polícia para combater Os 100.

Raio Negro ainda trás a discussão sobre racismo, o que fazemos para defender nossas famílias, até onde ir em nome da justiça e sacrifícios.

O primeiro episódio teve alguns problemas, mas nada que atrapalhe a vontade de querer conferir na próxima semana o segundo episódio da série, que irá contar além das aventuras do herói, um pouco de sua origem e outras partes interessantes do que é ser um super-herói, pai de família, membro respeitado de uma comunidade e ainda ter que divertir o público sedento por seriados inteligentes.

A ambientação é uma mistura de luzes e sombras. Não como Arrow que mesmo de dia, parece seguir com tons nublados e poucas cores. Raio Negro é o oposto. Muitas luzes e cores durante o dia e noite. Algo como seu uniforme contrastante entre luzes e sombras.

Não é uma série forte que te deixa com aquele sentimento pesado como Demolidor, outra série da NetFlix, mas segue uma tendência mais leve, mesmo com um tema social que levará a muitas discussões.

A trilha sonora é envolvente e toca nos momentos corretos, deixando o expectador muito mais envolvido pela trama.

Os atores são carismáticos e se continuar com essa pegada, será impossível não continuar a se identificar com cada personagem de Raio Negro. Não seguem os tradicionais clichês de uma família com filhos que querem se rebelar contra seus pais. São apenas adolescentes e idealistas. Cada filha, uma mistura de quem é o pai.

De uma maneira geral, Raio Negro começou muito bem. Resta saber se ele irá continuar a crescer ou cair na tendência NetFlix de ótimos inícios e seguir por altos e baixos e terminar como apenas mais uma série no catálogo da empresa.

E que subam as cortinas! Até a próxima!!

Compre o livro na amazon: bit.ly/estradaparayellowrose

Adicione seu comentário VIA FACEBOOK

Powered by Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *