Por Marcelo Olecram

Nessa sexta passada, foi lançado o jogo Jump Force, nos qual apresenta vários personagens das séries de mangás da Weekly Shōnen Jump, para PS4, Xbox One e PC.

Personagens

Diferente de seu antecessor (J-Star Victor Vs), Jump Force tem uma seleção de personagens mais focada em heróis de mangás de ação do que comédia, como Dr. Slump e Kochikame. Os personagens incluem antigos personagens de títulos clássicos, como Goku de Dragon Ball e Kenshiro de Hokuto no Ken, até heróis de mangás mais recentes, como Asta de Black Clover e Deku de My Hero Academia.

Vários personagens famosos como Goku e Luffy da série One Piece aparecem com suas transformações mais recentes nos mangá/anime como Super Saiyajin Azul e Gear Fourth, outros personagens como o da série Bleach, que aparecem com seus visuais e técnicas do Arco da Guerra de Mil Anos, o último arco do mangá que não foi ainda adaptado para o anime.

Ainda assim, houve personagens que não combinaram muito com o tom no jogo, como Ryo Saeba de City Hunter, uma mangá de ação e comédia pouco conhecido no Brasil, que luta usando pistolas e mísseis, e apesar do possuir um estilo de ataque único, nenhum de seus ataques estão disponíveis para o Avatar utilizar, portanto, ele está num jogo com uma atmosfera bem diferente de seu mangá de origem. Outra personagem que não combinou foi a Kagura Otsutsuki, a vilã principal de Naruto, que apareceu bem no final do mangá. Apesar de ser inimiga mais poderosa da série, ela não chega a ser uma vilã tão ícone quanto Freeza de Dragon Ball ou Toguro de Yu Yu Hakusho.

História

A história do jogo se passa no mundo real, que é invadido pelos vilões dos mundos Jump (os mundos dos mangás mencionado), que atacam as principais cidades do mundo com os Venons, avatares obscuros que usam ataques de outros personagens do jogo. Para combatê-los, o protagonista reencarna como um guerreiro com habilidades especiais, que luta ao lado da Jump Force, uma equipe de Super heróis como Os Vingadores e Liga da Justiça, só que é composto pelo heróis da Shounen.

Leia mais  Como se tornar VIP nas férias do Escape Hotel

Depois que você cria seu personagem e termina sua primeira luta, você acesso ao lobby do jogo, e terá que escolher entre três times, que são liderados pelos três principais heróis ícones da Jump (Goku, Luffy e Naruto). A única diferença que fará será o conjunto de ataque especiais que você pode usar, que são inspirados nos membros de cada equipe, você é livre para fazer qualquer missão.

O modo como você escolhe jogar é similar à Dragon Ball Xenoverse, onde você vai até varias recepções diferentes para participar de missões, lutas online e offline. Você vai participando das missões principais, onde você enfrenta outros heróis para poder recrutar ao grupo, e então, a história vai progredindo, e então você enfrenta os vilões principais. Uma forma simples, e um tanto quanto repetitiva.

A história do jogo não é um dos pontos mais altos, pois parece bastante com a história de Dragon Ball Xenoverse, os vilões principais do jogo, Kane e Galena, são muito similares aos vilões Mira e Towa do jogo anterior, uma dupla de vilões que manipulam heróis e vilões para poderem atingirem seus objetivos. E também as cutscenes do jogo são simples, os personagens sempre falam de uma forma automática e direta, sem mudarem muito de expressão e em missões secundárias, as cutscenes nem sequer tem as vozes do personagens dialogando. Os diálogos são muito pouco criativos, e o melhor que eles tentam fazer para gerar alguma comédia é fazendo o Luffy ou Goku dizer que estão com fome, sem falar que alguns personagens, como Ryuk de Death Note, não tem outra forma de falar além as caixas de diálogo, pois o personagem não tem voz nenhuma.

Leia mais  Sol da Meia-Noite’ tem pré-estreias no Dia dos Namorados

No final das contas, a história de Jump Force acabou sendo um história de crossover, onde personagens de outras dimensões se juntam para enfrentar um inimigo mais poderoso. Comparando ao J-Star, que tinha uma campanha num mundo no qual você podia explorar, a história desse deixou a desejar.

Customização

Um dos elementos chaves de Jump Force é a criação de personagem original, que é um pouco similar ao de Dragon Ball Xenoverse. Você começa o jogo criando seu avatar, escolhendo o seu estilo de luta (Artista Marcial, Pirata ou Ninja), e escolhe como será o tamanho e rosto do personagem. As melhores escolhas que são oferecidas nessa parte são o cabelo, com varias escolhas baseadas em diversos personagens dos mangás da Shōnen e escolher até duas cores para pintar, e as tatuagens e marcas icônicas.

Depois no jogo, você pode ir comprando roupas e acessórios inspirados nas vestimentos de outros personagens do jogo. Porém, o jogo só oferece três a quatro cores diferentes para cada conjunto, sem que você possa mudar a cor, e você precisa comprar outro traje se quiser de outra cor, o que limita muito o visual do personagem.

Os ataque especias customizáveis teve seus pontos positivos e negativos. Os pontos positivos é que mudar o atributo de alguns ataques, fazendo com que golpe muda de cor, por exemplo, você usa atributo de fogo, você solta um Kamehameha vermelho, ou com atributo de escuridão, você cria um Rasengan roxo. Você consegue adquirir os ataques especias nas lojas ou em missões adicionais. Mas um dos lados negativos, é que nem todos os ataques estão disponíveis para usar com seu personagem. Os ataques que não estão disponíveis são exclusivos a certos personagens, como os ataques do Luffy, que necessita esticar os braços, ou os de Yu-gi-oh e Jotaro de Jojo Bizarre Adventure, que invocam espíritos e monstros para auxiliar durante a luta. Ao todo, tem cerca de 42 ataques supremos no jogo, mas o avatar só tem direito a 18 desses ataques, menos da metade. Outras fator interessante é que quando você usa um ataque especial que envolve espadas, seu personagem cria uma laminado energia para executar o ataque e então ele deixa de usá-la. Uma mecânica interessante.

Leia mais  ACE COMBAT 7: SKIES UNKNOWN será apresentado com nova demo durante a E3 2017

Gameplay

As lutas de Jump Force são formadas em lutas em equipe de três entre dois times, na qual o objetivo é reduzir a barra de vida do oponente ao zero e vencer a partida (geralmente) em duas rodadas. Cada luta começa os líderes de cada time chocando seus punhos um contra o outro e depois trocando diálogos um com o outro.

O sistema de luta é bem parecido com o de Naruto Storm 4, onde a câmera troca de posição quando os dois oponentes andam pelo estágio, é o sistema de luta envolve combos no qual o personagem lança o oponente para uma direção e se teletransporta depois para trás do oponente, bem quando é arremessado, transformando num verdadeiro jogo de “bater e rebate”, o que pode ficar bem repetitivo com o tempo.

As melhores partes da luta é quando os golpes especiais são usados, assim você pode desfrutar seus personagem dando uma surra no oponente em grande estilo, principalmente quando se usa as transformações e ataques supremos.

Os cenários que o jogo oferece também são bem bonitos, pois envolvem cidades e lugares do mundo inteiro, como Nova York e Tokyo, misturados com lugares do animes, como o planeta Namek de Dragon Ball ou Aldeia da Folha de Naruto, é a melhor parte, é que é possível transitar por fases toda vez que um dos oponentes for arremessado.

Nota Final

O jogo acaba não oferecendo uma história muito inovadora ou empolgante, assim como os personagens podem parecer bem feitos no começo, mas se percebe que são pouco trabalhados. Ainda assim, as lutas do jogo podem oferecer até algum tipo de diversão.

6.5

Compre o livro na amazon: bit.ly/estradaparayellowrose

Adicione seu comentário VIA FACEBOOK

Powered by Facebook Comments