Escape | Experiência sala Chernobyl no Escape 60

03/07/2019 Off Por Surya Bueno

Após o sucesso das salas Xtreme em São Paulo, o , pioneiro no desenvolvimento de jogos de fuga no Brasil, apresenta a nova sala “ – Silêncio Mortal”. A partir de 3 de maio, na unidade Moema, os paulistanos vão contar com mais uma opção de sala imersiva, onde personagens interagem durante o jogo.

Na narrativa, os jogadores fazem parte de uma equipe de pesquisadores de radiação nuclear mundial e precisam decifrar os mistérios por trás dos experimentos nos arredores de , incluindo o misterioso destino da equipe do Dr. Alexei Pasternak. Sempre lembrando que, mesmo estável, a área é de radiação intensa e permanecer nela por mais de 60 minutos pode causar danos irreparáveis.

Diferentemente do modelo convencional de escape game, em que os jogadores precisam apenas decifrar códigos e solucionar enigmas para escapar, o Xtreme propõe uma experiência de imersão ainda mais emocionante, que leva os jogadores a testar seus limites e superar seus medos, ao mesmo tempo em que tentam descobrir como escapar da sala.

Participamos do jogo

Na porta Felipe foi o nosso host e explicou todas as ações e interações do jogo, – sendo que o principal diferencial é que dentro da sala existe um sensor de voz que toca um alarme super alto quando o tom dos participantes passa de alguns decibéis, o que torna a comunicação na passagem de senhas um pouco mais complicada e a necessidade de maior interação do grupo. Demoramos alguns minutos para nos acostumar a sala quase que totalmente escura, salvo a iluminação do televisor que exibiu um pedido de socorro do Dr. Alexei.

Iniciamos o jogo, como sempre, juntamos todos os objetos encontrados no chão, já que a sala é quase sem cenário.

A maioria das pistas são intuitivas e lógicas, e a ajuda do ator Lucas foi realmente necessária, aumentando o nível consideravelmente.

Por ter poucos objetos em cena o nível da sala também é um pouco mais alto que as tradicionais mesmo para os mais experientes tendo que buscar pistas em cantos e buracos escondidos em qualquer lugar.

No final conseguimos sair faltando pouco mais de 1 minuto e pelo visto foi um grande feito. Recomendado.

Para participar, é necessário ter a partir de 15 anos e estar em um grupo de, no mínimo, quatro participantes e, no máximo, oito. Os ingressos são vendidos exclusivamente por meio do site escape60.com.br, via PagSeguro.

Moema

Horário de funcionamento: de segunda a quinta, das 10h às 22h30; sexta e sábado, das 10h às 23h50; e domingo, das 10h às 22h30
Endereço: Alameda dos Jurupis, 1479 – Moema – São Paulo
Ingressos: R$ 84,90 por pessoa
Vendas: no site escape60.com.br
Informações: (11) 5042-0064
Classificação etária: maiores de 15 anos

NOTA 4.2.

avaliação geral
nota 3.8

AVALIAÇÃO: Média 4.

Foi uma das salas com o nível de desafio bastante equilibrado. Os enigmas e charadas foram bem variados: em alguns momentos, eram lineares (ou seja, a solução de um quebra-cabeça levava ao próximo). Em outros, eram múltiplos (cada membro poderia trabalhar na solução de um deles, separadamente).

NÍVEL DE IMERSÃO: Nota 3. O cenário é bastante simples, somente dois armários, objetos sem utilidade.

NÍVEL DE TENSÃO: Nota 3. Usaram o artifício da escuridão para atrapalhar, mas depois de iluminado ficou mais fácil.

NÍVEL DE AJUDA: Nota 5: O ator faltou dar o resultado das pistas que eram de um nível superior.

NÍVEL DE DIFICULDADE: Nota 5. Uma sala bastante difícil por ter poucos objetos em cena, como imersão prejudica um pouco pela simplicidade, mas por outro aumenta o nível de dificuldade.

NOVIDADE: Nota 3. Os tradicionais cadeados foram usados em 90% do jogo. Não havia muito mais do que o abrir de portas, sem sensores com imas, toques ou de movimento. Sem o uso de muita tecnologia além do sensor de decibéis.

NÍVEL DE DIVERSÃO: Nota 5. Sempre nos divertimos nos Escapes e dessa vez ninguém se matou dentro da sala.