President Evil é o novo jogo de RPG gratuito sobre Coronavirus

01/06/2020 Off Por Surya Bueno

President Evil é um de mesa gratuito desenvolvido com intuito de entreter as pessoas que estão de quarentena para combater a pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Para produzir o jogo, a criadora se inspirou na situação política brasileira perante a atual crise global.
A idealizadora contou que sua inspiração veio por conta das declarações realizadas pelo governo brasileiro em relação aos acontecimentos recentes no país: “Coloquei no jogo um cenário apocalíptico como se o Brasil estivesse em quarentena há muitos anos, já que as pessoas, por inúmeros motivos, não seguem a uma só quarentena adequadamente”.

Giometti, que sempre gostou de , criou President Evil como resposta às críticas que recebeu nas redes sociais ao comentar declarações de Jair Bolsonaro, presidente do Brasil: “Foi um modo de satirizar quem estava me atacando e ao próprio presidente. Foram dois dias inteiros criando as classes de personagens baseadas nas bizarrices e na realidade que vemos por aí. Foi um trabalho intenso, mas que valeu muito a pena”. Entre os personagens, existe um “holístico que veio para salvar os fracos, o nadador de esgoto com alta imunidade”, entre outros.
Em President Evil, as ruas brasileiras encontram-se abandonadas, a economia completamente falida e os que restam são sobreviventes. “Imaginei que fazendo o jogo as pessoas poderiam se colocar no lugar de personagens num cenário muito ruim, e até mesmo sentir um pouco a importância de se proteger e proteger ao próximo numa pandemia.” Para ela, o principal intuito é trazer a conscientização coletiva “indireta, por meio do entretenimento”.

“Ele simula a vida real de um modo lúdico”, explica a criadora. “Você tem que ficar de quarentena, caso necessário. Tem que manter a imunidade se alimentando bem, escolher ajudar o próximo ou não, pois alguns recebem o subsídio do governo e podem comprar alguma comida ou máscaras de qualidade, álcool em gel, podem até mesmo tomar o ‘tal’ medicamento duvidoso, que pode na sorte te salvar ou não.”


O propósito do
Com mais de 461 mil casos de Covid-19 e mais de 27 mil mortes confirmadas até o dia 29 de maio de 2020 (via G1), o Brasil está entre os países mais atingidos pela doença no mundo, o que poderia indicar um momento delicado para criar um jogo sobre o novo coronavírus. No entanto, Giometti deixa claro que tentou se colocar no lugar de todos que estão sofrendo com a pandemia dentro de casa e vêem líderes políticos “fazendo pouco caso delas e dos parentes que faleceram. Desfazer-se da doença e da morte do próximo, para mim, é o pior tipo de atitude que há”, diz.

“Ao mesmo tempo que o jogo faz a sátira ao presidente, ela não faz a sátira ou pouco caso do coronavírus, que é o grande vilão do jogo. Você deve manter a sua imunidade e caso esteja infectado, deve decidir entre ficar em quarentena ou contaminar seus amigos, e caso ainda apresente os graves sintomas, deverá contar com a ajuda deles para que tentem salvar você. No fundo, acho que traz um treino de empatia e conscientização através do entretenimento do .”

Como jogar President Evil
President Evil está disponível para download gratuito no site de Paola Giometti, em que você pode baixar o PDF com as instruções detalhadas. Como o bom e velho de Mesa, não precisa de muito para ser jogado — basta convocar os amigos (neste caso, virtualmente), separar um lápis, borracha, folha de papel e alguns dados.

“Recebi inúmeros elogios nas redes sociais pelo fato de President Evil ser um jogo simples e que é possível jogar com iniciantes”, declara Giometti. Ela ainda recomenda jogar com 2 a 6 participantes com idades a partir de 14 anos, uma vez que a história pode conter violência. Os jogadores também podem adaptar o jogo para torná-lo mais brando e jogar com crianças de 11 anos.

Sobre o jogo
Com o título mais votado nas redes sociais, e com quase 300 downloads em 24 horas, President Evil é um Sistema indie de RPG (Role-playing Game) que foi desenvolvido com a intenção de ser gratuito e entreter as pessoas que estão de quarentena com a família. Para jogar você não precisa de muito: lápis e borracha, folha de papel e alguns dados que você possa ter em casa.
As informações contidas no jogo foram inspiradas nas frases do presidente do Brasil durante a pandemia de corona vírus e não expressam a minha opinião. Quero deixar claro que não sou adepta a nenhum partido político. Mas não posso negar que os climas tensos que as redes socias têm criado me deu um bom estímulo para criar um sistema de RPG que pudesse oferecer classes de personagens bizarras para você jogar. Por exemplo, por que não jogar com um Nadador de Esgoto já que essa classe oferece + 6 de imunidade e a Habilidade Adicional de Natação? E que tal jogar com a classe Atleta na Juventude, que além de abrir espacate, você já inicia com a habilidade Saltador.
E não para por aí. O objetivo do jogo é manter a imunidade e se safar da contaminação por coronavírus que virá, uma hora ou outra, se você tirar o número 1 durante uma infeliz rolagem de dados. Caso seu personagem esteja com a imunidade baixa, você sofrerá graves consequências como “É só um resfriadinho”, até que seu personagem não tenha mais condições de continuar e precise ser entubado ou ele morre.
Você pode adaptar o jogo para vários tipos de dados. Sugiro o d6, que é mais comum e não oferece dificuldade para iniciantes do RPG.
Como o jogo se passa em um período de caos no Brasil, não será tão fácil encontrar medicamentos, vacinas ou comida, sendo esta última essencial para os personagens recuperarem imunidade ao longo do tempo, além da dificuldade que terão em comprá-los.
Recomendo jogar de 2 a 6 participantes com idades à partir de 14 anos, já que a história pode conter violência, mas você pode adaptar o jogo para que seja algo mais brando e jogar com seu irmão de 11 anos.

Texto reprodução: IGN Brasil