HISTORY | não perca a série RAÍZES

39498329_roots_n2_11112015_sd_malachikirby_0071

A história de Kunta Kinte e seus descendentes chega ao HISTORY em nova versão, que mais uma vez abre a discussão sobre a escravidão e a luta pela liberdade

O fenômeno televisivo dos anos 70 ganha nova roupagem protagonizada por um extraordinário elenco, como Laurence Fishburne, Forest Whitaker, Anna Paquin, Jonathan Rhys Meyers e Anika Noni Rose

 

A minissérie é baseada em livro vencedor do premio Pulitzer escrito em 1976 por Alex Haley, descendente da sétima geração de Kunta Kinte

 

 


Grande estreia: 17 de outubro de 2016, às 22h40

 

Os oito episódios serão exibidos na sequência, de segunda a quarta-feira

Abrindo um novo debate sobre a escravidão e a luta pela liberdade, a premiada minissérie Raízes (Roots) – fenômeno televisivo dos anos 70 – chega com uma nova versão à tela do HISTORY, no dia 17 de outubro. Com um roteiro dirigido a uma nova geração de telespectadores, a minissérie em oito episódios, exibida em quatro noites seguidas, é baseada no romance de Alex Haley, que relata a história da escravidão de Kunta Kinte, ancestral do autor, e a libertação de seus descendentes.

Esta nova versão de Raízes tem produção executiva de Will Packer (Policial em Apuros), Mark Wolper (filho do produtor da série original) e o ganhador de diversos prêmios Emmy LeVar Burton, que além de ser coprodutor, fez parte do elenco original, no núcleo de Kunta Kinte.

No elenco, Laurence Fishburne (ganhador de um Emmy por Tribeca) no papel de Alex Haley; Forrest Whitaker (Oscar de Melhor Ator por O Último Reino da Escócia) como Fiddler, um escravo que tenta guiar Kunta Kinte e arrisca sua vida para ajudá-lo a escapar; Anna Paquin (Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante por O Piano e Globo de Ouro de Melhor Atriz por True Blood) no papel de Nancy Holt, a esposa de um oficial com um jeito peculiar em relação ao tratamento dos escravos; e o ator Jonathan Rhys Meyers (Ponto Final: Match Point, The Tudors e Globo de Ouro de Melhor Ator por Elvis) no papel de Tom Lea, um senhor de escravos rude.

Destaque também para Anika Noni Rose (premio Tony por DreamGirls, e reconhecida por seu protagonismo em The Good Wifee A Princesa e o Sapo) como Kizzy, a inteligente filha de Kunta Kinte e que mantém o orgulho da família e o espírito guerreiro;Chad L. Coleman (The Walking Dead, The Wire) interpreta Mingo, uma escrava que trabalha na plantação de Lea; e Erica Tazel (Justified) como Matilda, filha de um pregador religioso e objeto do amor de Chicken George.

Visite também nosso site guia spin-off sobre Supernatural e outras séries e filmes com o mesmo tema.

A minissérie é um retrato histórico da escravidão nos Estados Unidos e tem como pano de fundo a saga de uma família para sobreviver, resistir e finalmente continuar seu legado, enfrentando dificuldades abissais e muita crueldade. Abrangendo varias gerações, a família começa com o jovem Kunta Kinte capturado em Gâmbia, sua terra natal, e transportando em condições desumanas para a América colonial, onde é vendido como escravo. O público do HISTORY poderá acompanhar, ao longo de toda a série, como esta família segue enfrentando as adversidades. A história de Kunta Kinte e das mulheres e dos homens que vieram depois dele, fazem eco na história de milhões de norte-americanos de origem africana e revelam poderosas verdades sobre a resistência universal do espírito humano.

A nova versão, original e contemporânea, incorporou mais material do romance de Haley e teve uma extensa e cuidadosa pesquisa. Com a ideia de utilizar essa poderosa história para incentivar o debate e o conhecimento sobre esta temática importante que faz parte da cultura americana, foi realizado um trabalho com historiadores especialistas em História Africana e Afroamericana e com líderes no assunto de todo o país.

“Kunta Kinte começou a contar sua história há mais de 200 anos e esta história passou de geração em geração. De Alex Haley, ao meu pai, e agora o manto recai sobre mim”, disse Mark Wolper, produtor executivo. “Assim como Kunta Kinte lutou para contar sua história uma e outra vez, nós também devemos fazê-lo”.

“Minha carreira começou com Raízes e me sinto orgulhoso de fazer parte desta nova adaptação”, disse LeVar Burton. “A maioria dos jovens não conhece a história de Raízes e a sua importância e creio que este é o momento adequado para contá-la para esse público e para que todos possamos recordar ou conhecer seu impacto em nossa cultura e identidade”.

A equipe de roteiristas da minissérie é composta por Lawrence Konner (Boardwalk Empire, The Sopranos, O Sorriso de Mona Lisa, Planeta dos Macacos), Mark Rosenthal (O Sorriso de Mona Lisa, Planeta dos Macacos), Alison McDonald (Alpha House, Nurse Jackie) e Charles Murray (Sons of Anarchy, Luke Cage), enquanto Vickie Thomas (Os Oito Odiados, Django Livre, No Auge da Fama, 42 – a História de Uma Lenda) foi a diretora de elenco.

 


SINOPSES

Segunda-feira, 17 de outubro – Em 1750, na cidade portuária de Juffure, na região fluvial da Gâmbia, África Ocidental, Omoro Kinte e sua esposa Binta têm seu primeiro filho, um menino a quem chamam de Kunta. Como membro da admirada família Kinte, Kunta é educado de acordo com os costumes e tradições do Mandingo. É um estudante dedicado, que sonha em frequentar a universidade em TImbuktu e seguir carreira acadêmica. Kunta completa seu treinamento como guerreiro – um importante rito de iniciação mandingo – mas logo é traído por Koro, de uma família rival. Os Koro o sequestram para vendê-lo a comerciantes de escravos britânicos, no século 18.

O jovem guerreiro é enviado aos Estados Unidos, depois de atravessar brutalmente o Atlântico a bordo do barco Lord Ligonier, junto com outros 140 escravos. As condições no navio são terríveis, sub-humanas, e Kunta teme não voltar nunca mais a ver sua família. Em alto mar, ele tenta unir-se a outros escravos e liderar uma revolta que termina em fracasso. Já em Annapolis, Virginia, é vendido ao fazendeiro John Waller e, como escravo, recebe o nome de Toby. Kunta resiste com todas suas forças ao novo nome e à escravidão. Se apoia nos sábios conselhos de Fiddler, um escravo e músico talentoso designado para treiná-lo. Com a ajuda do amigo, Kunta Kinte luta para sobreviver e manter sua dignidade, apesar da implacável violência sofrida.

Terça-feira, 18 de outubro – Em 1775, enquanto está trabalhando na fazenda de Waller, Kunta encontra com um grupo de soldados ingleses que estão tentando convencer os escravos a fugirem e se unirem ao Regimento Etíope do governador inglês. Aos escravos eles prometem a liberdade caso lutem ao lado do rei George. No entanto, durante a batalha, Kunta se dá conta de que os ingleses são apenas um pouco melhores do que os americanos e tenta fugir. É capturado por caçadores de escravos e tem metade de um dos pés amputado, para que nunca mais tente escapar. O irmão mais novo de Waller, o médico William, fica indignado com a mutilação e decide comprar Kunta, que recebe a ajuda de Belle, a cozinheira e escrava de William, e pouco a pouco se recupera.

Após uma recuperação longa e complicada, Kunta se casa com Belle e pouco depois o casal tem uma filha. Kunta lhe dá o nome mandingo Kizzy, que signfica “fique onde está”. Ela é uma menina muito inteligente, mas fica deslumbrada com a filha de Wiliam, Missy, e confunde as atenções dela com amizade verdadeira. Missy secretamente lhe ensina a ler e escrever. Suas habilidades secretas a levam a se sentir livre e a resistir às ordens ativamente. Já como adolescente, Kizzy falsifica documentos que ajudam o jovem escravo Noah a escapar durante a passagem de um terrível furacão. Sua conspiração é descoberta e ela é vendida ao agricultor branco e pobre Tom Lea. Ele a estupra repetidamente e ela dá à luz um menino, a quem chama George. Kizzy jura instilar em seu filho o orgulho de sua herança africana e o sonho de liberdade de Kunta Kinte.

Quarta-feira, 20 de outubro – Conforme George vai se tornando adulto, começa a mostrar traços herdados de seus pais. Assim como Tom Lea, gosta das brigas de galos e ir a festas. O escravo velho e especialista em aves Mingo se ressente de que George finalmente tome seu posto como preparador de rinhas. Assim, o elegante George se torna um consumado treinador de galos de briga e ganha o apelido de Chicken George. Ele se casa com Matilda, a filha de um pregador religioso, e tem vários filhos, e se esforça para lidar com as inclinações autodestrutivas de seu pai, Tom Lea.

De Kizzy, George herdou as fortes tradições familiares e o desejo de ser livre. Consegue normalizar sua relação com Tom Lea ao convencê-lo de que um dia reunirá – graças às rinhas – o dinheiro suficiente para comprar sua liberdade e de sua família. Quando Tom Lea perde uma aposta imprudente com um inglês, oferece enviar seu filho para trabalhar e pagar sua dívida. Chicken George termina arrastado, contra sua vontade, à Inglaterra.

Quinta-feira, 19 de outubro – Depois de passar mais de 20 anos na Inglaterra, Chicken George consegue sua liberdade. Ele regressa à fazenda de Lea somente para descobrir que, durante sua ausência, sua família foi vendida a outra família na Carolina do Norte. Ele segue seu rastro e os encontra trabalhando para Benjamin Murray, um respeitado engenheiro do arsenal federal da Carolina do Norte. George consegue se reencontrar com Matilda e descobre que Tom, seu filho caçula, um experiente guerreiro, agora é o líder da família. Tom é um jovem calado e trabalhador, que guarda rancor contra seu pai, pois o culpa por ter abandonado a família.

George se vê obrigado a partir da fazenda Murray e em seu caminho conhece o jovem escravo impetuoso Cyrus. Juntos, se unem às Tropas de Memphis. A Guerra Civil está chegando ao fim e, a duras penas, Chicken George e Cyrus conseguem salvar suas vidas. Uma vez terminada a guerra, os soldados do Sul lançam uma campanha de terror contra os escravos libertos. Tom faz uma viagem para buscar George, seu pai, e, inspirado por uma visão de Kunta Kinte, consegue resgatá-lo. De volta a sua casa, Tom consegue tirar sua família da fazenda Murray, para começar uma nova vida. Fiel aos desejos e expectativas de Kunta, a família finalmente alcança sua liberdade enquanto mantém intactas suas tradições ancestrais.

Em 1976, Alex Haley, um descendente da sétima geração de Kunta Kinte, escreve e publica o livro vencedor do premio Pulitzer:Roots: The Saga of an American Family.


DESCRIÇÃO DOS PERSONAGENS

Kunta Kinte (Malachi Kirky) – Aparece nos episódios 1, 2 e 4 – Kunta Kinte, “o Africano”, membro do respeitado clã Kinte, do povo mandingo da Gâmbia. Um guerreiro educado, inteligente, hábil, forte, resistente e orgulhoso; um jovem de imensa coragem e grande força espiritual – traços que lhe dão firmeza quando é capturado por traficantes de escravos britânicos. Kunta nunca desiste de seu sonho de voltar a sua aterra natal, nem deixa de incitar os escravos nascidos nos Estados Unidos a lutarem por sua liberdade.

Silla Ba Dibba (Derek Luke) – Aparece no episódio 2 – Um poderoso guerreiro mandingo, com as marcas das batalhas em seu corpo, altamente capacitado para o combate e que ajuda a treinar os jovens guerreiros. É um ícone para os jovens de Juffurey e uma inspiração para Kunta quando ambos são capturados e vendidos aos comerciantes de escravos ingleses.

Belle (Emayatzy Corinealdi) – Aparece no episódio 2 – A esposa de Kunta Kinte – nascida nos Estados Unidos – tem sido há muito tempo a cozinheira e ama de casa preferida do doutor William Waller. Esta mulher dá a Kunta uma razão para viver e deixar de fugir. É a mãe da única filha de Kunta, a Kizzy. No entanto, Belle também vive com seu próprio segredo: seus dois filhos bebês foram vendidos e separados dela quando era muito jovem, antes de se casar com Kunta Kinte.

Kizzy (Anika Noni Rose) – Aparece no episódio 3 – A amada e inteligente filha única de Kunta Kinte e Belle mantém vivo seu orgulho familiar e o espirito guerreiro. Seu pai a treinou para ser uma guerreira e ela sempre lembra todas as histórias que ele lhe contou sobre a África. Missy, a filha de seu amo, a ensina a ler e escrever. Depois de ser violentada por seu amo, Kizzy dá à luz a seu único filho, George, o único neto de Kunta Kinte. Ela passa ao filho desde criança os sonhos e os ensinamentos que recebeu de seu pai. A jovem Kizzy (15 anos) aparece no episódio 2, interpretada por Lee E’myri Crutchfield.

Chicken George (Regè-Jean Page) – Aparece nos episódios 3 e 4 – Ele é o inteligente, histriônico e habilidoso filho de Kizzy. Este jovem elegante atrai naturalmente as pessoas e sabe como cativar uma multidão somente contando uma história, até sua sorte o abandonar. Chicken George mantém as tradições ancestrais de sua família até que seu verdadeiro pai e proprietário de escravos, Tom Lea, o entrega como pagamento de uma dívida, por uma aposta perdida.

Matilda (Erica Tazel) – Aparece nos episódios 3 e 4 – Filha de um pregador religioso, alfabetizada, modesta e também religiosa. Matilda se deixa levar pelo encanto e as atenções de Chicken George, sendo a única mulher que consegue amansá-lo. Pouco depois, se torna sua esposa e mãe de seus oito filhos.

Tom (Sedale Threatt Jr.) – Aparece no episódio 4 – Ffilho mais novo de George e Matilda. Ao contrario dos modos perdulários, preguiçosos e donjuanescos de seu pai, Tom reage simplesmente ocultando suas emoções. Jovem calado e bonito, Tom acredita que somente por meio do trabalho duro como ferreiro poderá sobreviver à escravidão. As histórias que conhece de seu bisavô, Kunta Kinte, ressoam em seu interior como parábolas sobre esforço e perseverança. Ao se dar conta que não pode proteger sua esposa e família somente mantendo a cabeça baixa, começa a tomar outras ações e o guerreiro que há nele surge durante a Guerra Civil.

Alex Haley (Laurence Fishburne) – Aparece no episódio 4 – O autor do romance Roots: Tha Saga of an American Family.

Fiddler (Forest Whitaker) – Aparece nos episódios 1, 2 e 4 – Um músico escravo vindo da cidade, a quem a família Waller designou a estar presente em todas as plantações. Fiddler tem manipulado seus hábitos para adaptá-los ao que considera ser uma vida confortável. Este tagarela violinista é amigo fiel de Kunta: o guia, o aconselha, mas também aprende muito com ele.

John Waller (James Purefoy) – Aparece nos episódios 2 e 3 – Proprietário esbanjador de uma plantação de tabaco na Virgínia, que compra Kunta Kinte quando ele chega aos Estados Unidos. Alcoólatra, atormentado por dívidas, fanfarrão e, na realidade, mais negligente do que má pessoa, este colono inglês não conseguiria manter sua fazenda em funcionamento se não fossem os empréstimos secretos que recebe de seu irmão.

Dr. William Waller (Matthew Goode) – Aparece nos episódios 2 e 3 – Ele é o educado, encantador, e mais refinado e bem-sucedido irmão mais novo de John Waller. William tem uma forma mais branda de tratar seus escravos, enquanto certamente é um crente na escravidão.

Missy Waller (G. Hannelius) – Aparece no episódio 2 – a filha de John Waller e Melhor amiga de Kizzy… até que a trai.

Tom Lea (Jonatha Rhys Meyers) – Aparece nos episódios 2, 3 e 4 – Um agricultor pobre de ascendência irlandesa, vindo da região pobre e montanhosa da Carolina. Um homem covarde, que aspira a uma vida de riqueza, em alguns momentos muito divertido, mas sempre suspeito e incapaz de superar a inveja que sente daqueles que estão em melhor posição. Compra Kizzy aos 15 anos de idade e a violenta, o que resulta no nascimento de seu filho George, a quem acolhe e ensina tudo sobre as brigas de galos. Tom enfrenta uma terrível luta interior, pois é um grande tormento ser dono de um escravo que na realidade é seu filho.

Mingo (Chad L. Coleman) – Aparece no episódio 3 – Um escravo e treinador de galos muito sério e de grande sensatez. Trabalha para Tom Lea, sendo quem mantém forte a plantação. Mingo e Chicken George firmam uma grande amizade e desenvolvem um vínculo como se fossem pai e filho.

Cyrus (Tip “Ti” Harris) – aparece no episódio 4 – Um escravo bem teimoso que se une ao Exército da União contra as Forças Confederadas para lutar por sua liberdade. Torna-se amigo e ajuda Chicken George.

Jerusalem (Mekhi Phifer) – Aparece no episódio 4 – Um escravo mudo que trabalha na plantação Murray, mas que não é o que aparenta ser.

Nancy Holt (Anna Paquin) – Aparece no episódio 4 – Uma jovem protestante comprometida com o oficial confederado Frederick Murray; ela tem seu próprio jeito quando se trata do tratamento dos escravos.

Frederick Murray (Lane Garrison) – Aparece no episódio 4 – Ele é o filho racista de Benjamin Murray. Um jovem partidário do movimento secessionista do Sul, impiedoso e às vezes sentimental, que trata os escravos de sua fazenda com extrema violência. Está comprometido com Nancy Holt.

 
ELENCO RAÍZES 

ANNA PAQUIN (Nancy Holt)

/Users/crgonzal/Desktop/Anna Paquin.pngO trabalho de Anna Paquin no cinema, na televisão e no teatro tornou-a uma artista extraordinária e diversa na indústria do entretenimento. Paquin estrelou a série do HBO True Blood durante sete temporadas. Em 2007, atuou no filme original da HBO Enterrem Meu Coração na Curva do Rio e em 2009 participou do novo projeto da Hallmark Hall of Fame, no filme para a televisão O Coração Corajoso de Irena Sendler.

Fez parte da trilogia X-Men e também atuou em filmes como: A Lula e a Baleia; A Última Noite, Encontrando Forrester, Quase Famosos, Amistad, Buffalo Soldiers, A Walk on the Moon, Voando para Casa, Jane Eyre, O Casamento do Meu Ex e Tudo em Família. Paquin também protagonizou e coproduziu Blue State com seu irmão Andrew, assinado por sua companhia Paquin Films.

A estreia de Paquin no cinema foi em O Piano, de Jane Campion, e a levou a conquistar o prêmio da academia como melhor atriz coadjuvante com apenas 11 anos.  No teatro sua estreia foi em The Glory of Living, em que foi dirigida pelo ator Philip Seymour Hoffman. Outras incursões teatrais de Paquin foram emThis Is Our Youth, de Kenneth Lonergan, e The Distance From Here, dirigida por Neil Labute.

Em 2014, Anna Paquin e Stephen Moyer, por meio de sua produtora CASM, firmaram um contrato com a HBO, inicialmente com duração de dois anos, para produzirem, dirigirem e protagonizarem séries, filmes e minisséries. Em 2013, Paquin atuou em Free Ride, o primeiro longa metragem de sua produtora, baseado em uma história real, sobre Christina (Paquin), uma mãe solteira e abusada, que é capturada na década de 1970 traficando drogas na Flórida.

 ANIKA NONI ROSE (Kizzy)

A cantora e atriz americana Anika Noni Rose foi ganhadora de um Tony Award de Melhor Atriz em um musical, por seu papel em Caroline, or Change. Foi indicada ao Drama Desk, Los Angeles Critics’ Circle Award, um Ovation Award e um Obie Award. Interpretou Lorell Robinson em Dreamgirls e foi a voz da personagem principal, a princesa Tiana, no filme da Disney A Princesa e o Sapo, representando a primeira princesa de Disney afrodescendente. Anika interpretou a filha de Whoopi Goldberg no filme do Lifetime A Day Late and a Dollar Short e participou doa longaa Meio Sol Amarelo, Sonhos Imperiais, For Colored Girlse a comédia H2O: Just Add Water.

Na TV, Anika estrelou o especial The Watsons Go To Birmingham e apareceu em alguns dos programas mais vistos, incluindo papéis em The Good Wife e Private Practice, da ABC. Ela também foi atriz convidada em Elementary e em Os Simpsons dublou a voz da esposa perdida de Abe. Outros créditos na televisão incluem a minissérie do A&E Saco de Ossos, com Pierce Brosnan, e The No. 1 Ladies Detective Agency, da HBO/BBC/Weinstein Company, pelo qual ela foi indicada ao prêmio NAACP Image Award como Melhor atriz em um drama.

Anika estreou como cantora independente em Nova York, fazendo parte da série Lincoln Center’s American Songbook, concerto no Broad Stage em Los Angeles e aparições na legendária Venetian Room em San Francisco. Já se apresentou no mundo inteiro, incluindo os prêmios da Academia edição 79, concertos no London’s West End junto com Jason Robert Brown, no Vaticano, no Kennedy Center e no Carnegie Hall. É a celebridade que representa a Associação Americana do Pulmão e tem exercido pressão no Capitol Hill em nome da instituição. Ela também criou o fundo The Core Lee Bentley Radcliff para ajudar crianças com problemas mentais, recebeu seu MFA do American Conservatory Theater e tem um doutorado honorário da universidade da Flórida A&M.

JONATHAN RHYS MEYERS (Tom Lea)

/Users/crgonzal/Desktop/Screen Shot 2016-02-26 at 12.38.54 PM.pngA carreira desse irlandês, que tem se destacado como modelo, ator, produtor e cantor, tem crescido muito e se tornou um dos homem mais requisitados em Hollywood. Sua estreia foi no filme Um Homem sem Importância, mas foi seu papel como protagonista em Velvet Goldmine de Todd Haynes, em 1998, que deu a ele o reconhecimento internacional e o fez ganhar um prêmio do London Film Critics Circle Award. Rhys Meyers também obteve críticas favoráveis por seu papel no filme Match Point de Woody Allen, produção indicada a três Globos de Ouro, incluindo a de Melhor Filme. A produção estreou no festival de Cannes 2005 e Rhys Meyers ganhou o Chopard Trophy como revelação masculina.

Rhys Meyers também é reconhecido por seu papel como treinador de futebol feminino no premiado e inesperado Driblando o Destino, e por seu papel como protagonista em Feira das Vaidades. Seus créditos cinematográficos também incluem Michael Collins – O Preço da Liberdade de Neil Jordan, O Som do Coração de Kirsten Sheridan, No Embalo da América, A Perda da Inocência de Mike Figgis, Cavalgada com o Diabo de Ang Lee, Stonewall de Roland Emmerich e os longas mais recentes Damascus Cover e London Town. Trabalhou com diretores importantes como Micheal Radford, Oliver Stone, Julie Taymor, Luc Besson e Harald Zwart.

Rhys Meyers teve indicações no Globo de Ouro por seu papel como Enrique VIII em The Tudors, mas levou o prêmio de melhor ator por seu papel protagonista na minissérie de televisão Elvis da CBS, além de ter sido indicado ao Emmy. Outros créditos na televisão incluem Drácula da NBC, no qual também é produtor.

 

FOREST WHITAKER (Fiddler)

Forest Whitaker, um dos atores, diretores e produtores mais bem-sucedidos de Hollywood, tem mostrado seus talentos em uma infinidade de papéis diversos e exigentes. Em 2007, ele ganhou elogios da crítica por sua atuação como o ditador da Uganda Idi Amin em O Último Rei da Escócia, recebendo um Oscar, um BAFTA Award, um SAG Award e o um Globo de Ouro por Melhor Ator.

O trabalho intensivo que Whitaker realiza com os personagens em filmes como O Mordomo da Casa Branca, de Lee Daniels, Traídos Pelo Desejo, Ghost Dog: The Way of the Samurai e Bird, pelo qual foi premiado como Melhor Ator no Festival de Cannes de 1988, fizeram dele um dos atores mais versáteis da sua época. Mais recentemente, Whitaker estrelou ao lado de Jake Gyllenhaal em Nocaute. Ele também terminou de filmar há pouco tempo a ficção científica dramática The Story of Your Life, de Denis Villeneuve, contracenando com Amy Adams. Whitaker também rodou Rogue One: Uma História Star Wars, da Lucasfilm, no qual atua ao lado de Felicity Jones, Riz Ahmed, Diego Luna e Ben Mendelsohn, sob a direção de Gareth Edwards.

Além de todos os seus projetos, Whitaker decidiu explorar sua paixão pelo teatro. Em fevereiro deste ano, fez sua estreia na Broadway emHughie, de Eugene O’Neill, dirigido pelo diretor Michael Grandage, vencedor do Tony Award. Como diretor da Significant Productions, Whitaker tem como objetivo apoiar cineastas jovens e talentosos. Em 2013, ele coproduziu Fruitvale Station, a estreia na direção de Ryan Coogler, que foi o vencedor do Grande Prêmio do Júri do Festival de Sundance e ganhou o prêmio de Melhor Primeiro Filme do Festival de Cannes. Os dois últimos filmes da Significant Productions, Dope e Song My Brothers Taught Me, também foram selecionados para ter sua estreia na competição do Festival de Sundance – e ambos foram selecionados para a Quinzena dos Realizadores do Festival de Cannes de 2015.

Whitaker fez sua estreia na direção com Strapped, em 1993, pelo qual ganhou um prêmio no International Critics’ Award e no Festival de Toronto. Desde então, dirigiu e foi produtor executivo de Waiting to Exhale, Hope Floats e First Daughter. Ele produziu vários outros filmes e documentários premiados, incluindo o vencedor do Peabody Award Brick City, e foi produtor executivo de vários filmes e minisséries produzidos para a TV.

Na última década, Whitaker dedicou grande parte de seu tempo ao trabalho humanitário. Ele é o fundador e CEO do The Whitaker Peace & Development Initiative. Whitaker é também cofundador e presidente do International Institute for Peace, Enviado Especial pela Paz e Reconciliação da UNESCO e membro do President’s Committee on the Arts and the Humanities. Anteriormente, atuou no President’s Urban Policy Committee. Em 2014, ele começou a colaborar com o Gabinete do Representante Especial da Secretaria Geral da ONU para Crianças e Conflitos Armados e como Defensor das Crianças Afetadas pela Guerra, um tópico sobre o qual ele foi convidado a falar perante o Conselho de Segurança da ONU, em setembro de 2014.

LAURENCE J. FISHBURNE III (Alex Haley)

 

Laurence J. Fishburne III acumulou uma bagagem profissional impressionante não apenas como ator, mas também como produtor e diretor. Em 1992, ele venceu o Drama Desk, Outer Critics Circle, Theatre World e o Tony Awards por sua interpretação como Sterling Johnson em Two Trains Runnings, de August Wilson e dirigido por Lloyd Richards. Em 1993, sua performance como Martin em The Box, episódio da série televisiva Tribeca, dirigido por Michael Dinner, lhe valeu um Emmy. No ano seguinte, foi indicado ao Oscar como Melhor Ator por seu papel como Ike Turner em Tina, de Brian Gibson, contracenando com a indicada ao Oscar Angela Bassett.

Mais tarde, Fishburne foi indicado ao Emmy por sua interpretação de Thurgood Marshall, em um filme para a TV baseado na vida do famoso juiz americano. Esse papel surgiu em uma peça da Broadway, escrita por George Stevens Jr. e dirigida por Leonard Foglia, o que também lhe valeu uma indicação ao Tony Award e prêmios no Drama Desk e Outer Critics Circle Awards. Ele interpretou novamente o personagem no Geffen Playhouse, em Los Angeles, e no Kennedy Center, em Washington, D.C. Ele foi indicado ao Emmy e ganhou um prêmio pelo NAACP Image Award por seu papel principal no filme para TV Cobaias, do qual também foi produtor executivo. Miss Evers’s Boys venceu cinco Emmy Awards, incluindo Melhor Filme Feito para Televisão e o cobiçado President’s Award.

Seus muitos outros filmes incluem o indicado ao Oscar Os Donos da Rua, de John Singleton; o filme para TV A Rumor of War, de Richard T. Heffron; o também filme para TV For Us the Living: The Medgar Evers Story, de Michael Schultz; O Selvagem da Motocicleta, The Cotton Clube Jardins de Pedra, todos dirigidos por Francis Ford Coppola; A Cor Púrpura, de Steven Spielberg; Lute Pela Coisa Certa, de Spike Lee; King of New York, de Abel Ferrara; e os filmes para TV Decoration Day e The Tuskegee Airmen, de Robert Markowitz, pelos quais recebeu indicações ao NAACP Image Award, Globo de Ouro, Emmy e CableACE Awards; Julgamento Final, de Michael Apted, e o filme para TVGarantia de Vida, adaptado por Walter Moseley de seu próprio livro e do qual Laurence foi produtor executivo; Traindo o Inimigo e Homens Perigosos, de Bill Duke; Lances Inocentes, de Steven Zaillian; Duro Aprendizado, de John Singleton, pelo qual Laurence ganhou um NAACP Image Award; Othello, de Oliver Parker, contracenando com Kenneth Branagh e Irène Jacob; os três grandes sucessos Matrix dos irmãos Wachowski; Sobre Meninos e Lobos, de Clint Eastwood; Bobby, de Emilio Estevez, pelo qual ele dividiu uma indicação ao Screen Actors Guild Award junto com os outros atores do elenco; Armored and Predators, de Nimród Antal; o filme para TV Have a Little Faith, do Hallmark Hall of Fame, de John Avnet; o sucesso de bilheteria Policial em Apuros de Tim Story; e O Homem de Aço e Batman vs. Superman, de Zack Snyder.

Sua empresa, Cinema Gypsy Productions, produziu os filmes Prova de Fogo – Uma História de Vida, escrito e dirigido por Doug Atchison, estrelando Keke Palmer e premiado como Melhor Filme no Black Movie Awards; Jogo da Morte, coescrito e dirigido por Laurence Malkin e estrelando Ryan Phillippe; e Once in the Lifetime.  Pela Cinema Gypsy, ele será o produtor executivo e protagonista de The Right Mistake, série de TV dramática da HBO.

Em 1999, Fishburne fez o papel de King Henry II, contracenando com Stockard Channing, no revival do Roundabout Theater Company da Broadway de The Lion in Winter, de James Goldman e encenado por Michael Mayer. Em 2006, estrelou o drama Without Walls, de Alfred Uhry, e foi premiado como Melhor Ator pelo NAACP Theater Awards. Naquele mesmo ano, Fishburne estrelou, no The Pasadena Playhouse,Fences, de August Wilson, dirigido por Samuel Epps – a produção bateu os recordes de vendas de ingresso da Playhouse, com uma temporada completamente esgotada.

Ele pode ser visto atualmente ao lado de Anthony Anderson e Tracee Ellis Ross na série de sucesso da ABC Black-ish, da qual ele também é produtor executivo. Sua atuação lhe valeu uma indicação ao Peoples’ Choice Awards por Ator Favorito em uma Nova Série de TV e um prêmio no NAACP Image Award por Melhor Ator Coadjuvante em uma Série de Comédia. Ele também apareceu ao lado de Hugh Dancy e Mads Mikkelsen na série de suspense da NBC Hannibal. Antes, havia estrelado as três temporadas da série de sucesso CSI: Crime Scene Investigation. Fishburne atua como Embaixador da UNICEF. Em 2007, ele foi homenageado pela Universidade de Harvard como Artista do Ano por suas Contribuições Excepcionais às Artes Cênicas Americanas e Internacionais, assim como por sua contribuição humanitária.

MARK WOLPER (Produtor Executivo)

É um cineasta veterano, que se dedicou à produção de cinema e TV por mais de 30 anos. Desde 2006, dirige a The Wolper Organization, fundada por seu pai, e /Users/crgonzal/Desktop/Mark Wolper Headshot 2.jpgque foi responsável por mais de 500 filmes, os quais ganharam mais de 150 prêmios, incluindo dois Oscar, 50 Emmys, sete Globos de Ouro, cinco Peabody, reconhecimento do Festival de Cannes e de outros festivais de cinema Internacionais. Como presidente do The Wolper Organization, esteve envolvido em muitos projetos de alto nível, incluindo o vencedor de um Oscar L.A. Confidential, protagonizado por Russel Crowe, Kevin Spacey e Kim Basinger; Assassinato em Primeiro Grau, com Kevin Bacon e Gary Oldman; as minisséries indicadas ao Emmy As Brumas de Avalon,protagonizada por Anjelica Houston, Julianna Margulies e Joan Allen; Pássaros Feridos, estrelada por Richard Chamberlain; e a minissérie indicada ao Emmy e ganhadora do NAACP Queen, que foi protagonizada por Halle Berry. Wolper recentemente trouxe Bates Motel à A&E Networks.

Os extensos créditos de produção de Wolper incluem Helter Skelter, Os Vampiros de Salem, Assassinato no Mississipi e a série Penn & Teller: Bullshit, indicada ao Emmy. Mark recentemente completou 100 episódios de Bait Car para TruTV e, atualmente, está produzindo a 5ª temporada da série de sucessoBates Motel, do A&E.

Em 1987, Mark Wolper se uniu ao pai, o conhecido cineasta David Wolper, que em 1958 produziu a série original Raízes. Mark assumiu a liderança da companhia em 2006.

 

LEVAR BURTON (Coprodutor executivo)

Levar Burton começou sua carreira como ator quando ainda estudava na Universidade do Sul da Califórnia, e se tornou conhecido por seu papel de Kunta Kinte na série de televisão Raízes – aos 19 anos já estava na capa da revista Time. Também é conhecido por seu personagem Geordi la Forge, da série de televisão Star Trek: A Nova Geração, mas tem sido seu papel como anfitrião e produtor executivo do programa infantil da emissora PBS Reading Rainbow, seu maior motivo de orgulho. O programa ganhou mais de 200 prêmios, incluindo 26 estatuetas do Emmy e um Peadboy.

Burton sempre esteve comprometido em melhorar a educação infantil, usando diferentes e inovadoras narrativas. Em 2012 lançou o Burton RRKidz, uma editora educativa digital, fundada com Mark Wolfe. Os dois têm os direitos globais da marca Reading Rainbows, um serviço digital com mais de 500 livros infantis, de ficção e não ficção, mais de 200 vídeos de passeios e atividades outdoor para crianças, além de agregar em sua plataforma um novo conteúdo a cada semana. Desde o seu lançamento, o público infantil tem à disposição mais de 25 milhões de livros e vídeos e é o aplicativo educativo número um no iTunes, ganhador de vários prêmios.

Burton já recebeu 12 prêmios Emmy, um Grammy e cinco prêmios da NAACP. Frequentemente é convidado para ser o orador principal em eventos de educação e tecnologia. Mais recentemente, discursou na NASA, ISTE, The National Headstart Association e FAST COMPANY’S Innovative Series, entre outros eventos.

 

 

 

 

Sobre HISTORY
O HISTORY é o líder incontestável em conteúdo histórico e produção original: é a História transformada em entretenimento. O canal oferece conteúdo multimídia que inclui produções originais como Gigantes de México e Gigantes do Brasil.  Além disso, exibe megaproduções como O Último Reino, A Rebelião dos Bárbaros e Raízes, junto com séries de sucesso como O Sócio,Trato Feito, Louco por Carros e Caçadores de Relíquias. O HISTORY alcança 63 milhões de lares.

www.seuhistory.com

Confira as playlists exclusivas do HISTORY no Spotify: https://open.spotify.com/user/canalhistory

Twitter: @CanalHistory – www.facebook.com/canalhistory

 


Artigos relacionados

HISTORY | estreia Louco Por Carros: Turbinado Danny Koker, a lenda da customização de veículos, está de volta em série de oito episódios especiais e com máquinas ainda mais radicais   ...
No final de Zona de Conflito, Gabriel Chaim conver... Como é viver em uma região em guerra? O que está por trás das pessoas que lutam? E das que são obrigadas a deixarem seus lares? Zona de Conflito, ...
HISTORY | Suposta captura do Pé Grande é tema de e... Produção desvenda também o que significa para a humanidade a possível comprovação da existência da criatura mais lendária dos Estados Unidos  E...
HISTORY faz uma viagem no tempo com o especial iné... Em quatro episódios, produção traz as principais lembranças dos Natais das décadas de 1960, 1970, 1980 e 1990   Estreia: 24/12, sábado...
A&E e HISTORY | Destaques de 3 a 9 de outubro 3/10, segunda-feira, 23h15 Prejuízos financeiros e perda da guarda de criança são ameaças enfrentadas pelos Acumuladores Compulsivos Em ...

Adicione seu comentário

Powered by Facebook Comments

Deixe uma resposta