Canal Brasil | Filmes de 04 a 10 de setembro

03/09/2017 0 Por Surya

FILMES EM DESTAQUE DE 04 A 10 DE SETEMBRO

 

SEGUNDA-FEIRA, 04 DE SETEMBRO

 

“É TUDO VERDADE”: MANTER A LINHA DA CORDILHEIRA SEM O DESMAIO DA PLANÍCIE (2017) (84’)

– Horário: 22h

– Classificação: 12 anos

– Inédito e exclusivo

– Direção: Walter Carvalho

Sinopse: O documentarista e fotógrafo Walter Carvalho acompanhou durante sete anos o cotidiano do escritor Armando Freitas Filho e conheceu profundamente sua obra e intimidade. Os dizeres “manter a linha da cordilheira sem o desmaio da planície” foram transcritos para uma dessas páginas aleatórias como o início de um verso, mas a poesia nunca foi terminada.

 

A coprodução do acompanha com grande atenção as minúcias do trabalho do protagonista, revelando vida e trajetória. Os momentos mais emocionantes focam a verve artística desse grande mestre das palavras e a produção alterna entre momentos de descontração, como o reconhecimento da personalidade hipocondríaca, e vales de intensa profundidade dramática, com destaque para a leitura da carta da amiga e poetisa Ana Cristina Cesar, endereçada a Armando pela autora pouco antes de ela cometer suicídio em 1983.

 

A conversa sobre poesia ocupa a maior parte da narrativa e cada tomada revela a admiração do cineasta pelo trabalho do escritor. O bate-papo com Ferreira Gullar também rende momentos singulares do encontro de dois grandes gênios das palavras, e Armando faz questão de prestar sua reverência a Carlos Drummond de Andrade e João Cabral de Melo Neto.

 

TERÇA-FEIRA, 05 DE SETEMBRO

 

GRANDE PRÊMIO DO CINEMA BRASILEIRO

– Horário: Terça, 20h45

A partir das 20h45 – 15 minutos antes do início da cerimônia –, o público acompanha a transmissão, apresentada por Simone Zuccolotto e com comentários dos críticos Luiz Zanin e Roger Lerina. Kiko Mollica e Maria Clara Senra registram a chegada dos convidados no tapete vermelho. A direção fica a cargo de Marcus Vinícius Cezar.

 

Sinopse: Na 16ª edição do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro – promovido pela Academia Brasileira de Cinema –, serão laureadas as melhores produções nacionais e estrangeiras de 2016, assim como os profissionais que participaram de suas realizações. Transmitida ao vivo pelo na TV e na Internet, pelo Play –, a cerimônia de entrega dos troféus acontece no Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

 

O evento terá direção de Bia Lessa contará com uma homenagem ao ator Antonio Pitanga e à cineasta Helena Ignez. O intérprete contabiliza 57 atuações na sétima arte, entre obras cruciais como Villa-Lobos, uma Vida de Paixão (2000), de Zelito Vianna; Zuzu Angel (2006), de Sergio Rezende; e O Homem Que Desafiou o Diabo (2007), de Moacyr Góes. Ícone do cinema marginal, Helena Ignez atuou em filmes como O Assalto ao Trem Pagador (1962), de Roberto Farias, e O Bandido da Luz Vermelha (1968), de Rogério Sganzerla, além de ter dirigido Canção de Baal (2007) e Ralé (2016).

 

A cinebiografia musical Elis (2016) lidera o número de indicações, com 12, sendo seguida por Aquarius (2016), de Kleber Mendonça Filho, presente em 11 categorias. Coproduções do também ganham destaque na festa. Boi Neon (2016), concorre a 10 prêmios, incluindo o de melhor filme; BR 716 (2016) compete como melhor comédia; e Big Jato (2016) como melhor edição, roteiro adaptado e trilha sonora original. Cinema Novo (2016), Cícero Dias, o Compadre de Picasso (2016), Eu Sou Carlos Imperial (2016) e Menino 23 – Infâncias Perdidas no Brasil (2016) disputam como melhor documentário.

 

QUARTA-FEIRA, 06 DE SETEMBRO

 

GONZAGA – DE PAI PRA FILHO (2012) (120’)

– Horário: 22h

– Classificação: 12 anos

– Direção: Breno Silveira

Sinopse:  Um pai e um filho, dois artistas, dois sucessos. Um do sertão nordestino, o outro carioca do Morro de São Carlos; um de direita, o outro de esquerda. Encontros, desencontros e uma trilha sonora que emocionou o Brasil. Esta é a história de Luiz Gonzaga e Gonzaguinha, e de um amor que venceu o medo e o preconceito e resistiu à distância e ao esquecimento.

 

QUINTA-FEIRA, 07 DE SETEMBRO

 

CAZUZA – O TEMPO NÃO PÁRA (2004) (98’)

– Horário: Quinta, 22h

– Classificação: 16 anos

– Direção: Sandra Werneck, Walter Carvalho

Sinopse: Inspirado no emocionante e corajoso depoimento Só as Mães São Felizes, de Lucinha Araújo (Marieta Severo), mãe de Cazuza (Daniel de Oliveira), o filme abrange pouco mais de dez anos da vida louca, vida breve do cantor – do início de sua carreira no Circo Voador, em 1981, ao estrondoso sucesso e shows apoteóticos com o Barão Vermelho, a carreira solo, a relação com os pais, amigos, amores e paixões, e a coragem com que enfrentou os últimos anos, vítima de HIV, até sua morte, em 1990.

 

SEXTA-FEIRA, 08 DE SETEMBRO

CINEMÃO: O QUATRILHO (1995) 992’)

– Horário: Sexta, 22h

– Classificação: Livre

– Direção: Fábio Barreto

Sinopse:  Quatrilho conta a história de relação de dois jovens casais de imigrantes: Teresa (Patrícia Pillar) e Ângelo (Alexandre Paternost); Pierina (Glória Pires) e Mássino (Bruno Campos). Na luta pela sobrevivência diante de um novo mundo, surge o inesperado amor entre Mássimo e Teresa. Apaixonados, os dois reagem contra as traições familiares e culturais e partem para um novo destino, deixando para trás seus parceiros e suas histórias. Quatrilho é o nome de um jogo de cartas em que os participantes precisam trair seus parceiros para se sagrarem vencedores. que narra a saga dos imigrantes italianos entre as décadas de 1910 e 1930.

 

 

SÁBADO, 09 DE SETEMBRO

 

“MALU DE BICICLETA” (2011) (90’)

– Horário: Sábado, 22h

– Classificação: 14 anos

– Direção: Flavio Tambellini

Sinopse: : Luiz Mário (Marcelo Serrado) é um empresário mulherengo, que trabalha com a noite paulistana e coleciona casos amorosos. Apesar disto, não consegue realmente se envolver com nenhuma delas. Um dia, no Rio de Janeiro, é atropelado de bicicleta por Malu (Fernanda de Freitas) na ciclovia do Leblon. Eles logo se envolvem e vivem um romance perfeito, que apenas é abalado devido a uma enigmática carta de amor.

 

 

DOMINGO, 10 DE SETEMBRO

“CONE SUL”: ABRIR PORTAS E JANELAS (2012) (96’)

– Horário: Domingo, 22h

– Classificação: 14 anos

– Inédito e exclusivo

– Direção: Milagros Mumenthaler

Sinopse:  Marina (María Canale), Sofia (Martina Juncadella) e Violeta (Ailín Salas) foram criadas pela avó, Alicia, em uma casa antiga em Buenos Aires, capital da Argentina – o roteiro não explica o motivo da orfandade precoce. Pela segunda vez em tão pouco tempo, as jovens perdem novamente as referências paternais após o infarto da idosa e precisam entender forçosamente os percalços e as dificuldades da vida adulta. Cada moça lida de forma distinta com o falecimento da matriarca da família. Marina, a mais velha, acaba por assumir o posto e as funções de maior responsabilidade da residência. Sofia, mais ativa, busca ignorar o luto entre o trabalho e a faculdade e ainda traz um pouco da rebeldia do fim da adolescência. A caçula Violeta adota um comportamento praticamente letárgico e passa a maior parte dos dias vagando entre o sofá e a cama.

 

A coprodução entre Argentina e Suíça conquistou público e crítica nos festivais de Locarno (Suíça), Havana (Cuba), Munique (Alemanha), Guadalajara (México) e Mar de Plata (Argentina).