Posts Relacionados

Ah!!!! a INTERNET! 

Dia desses deparei-me com um youtuber que afirmou, “se quer ver algo como o original, fique com original”. E essa frase caiu como uma luva depois da estreia de Death Note pela Netflix, a “visão” americanizada da franquia, e na internet choveu críticas e gifs divertidos “destruindo” a adaptação.

E essa é a reação do Light ao conhecer o Ryuk no filme de Death Note da Netflix 😂😂😂

Posted by Sentido Geek on Friday, August 25, 2017

 

 

 

Até que torcemos para que fosse legal, mas essa é uma das ocasiões que tudo parece dar errado, de verdade, confira aqui a nossa crítica.

Para quem é fã nem adianta chover muito no molhado com explicações, mas se você está na internet e está vendo o povo reclamar vale saber de forma bem resumida sobre Kira no final deste artigo.

Mas a boa notícia é que as versões nippônicas também estão disponíveis via stream pelo Netflix.

O anime Death Note de 2006 está com 37 episódios com 20 minutos cada, nas versões dublada ou com áudio em japonês/legendado. Clique aqui para assistir no Netflix.

Já as três versões em live action japonesas estão disponíveis para locação ou venda no Looke, clique aqui para abrir o link. Fizemos a crítica da terceira parte, Iluminando um novo Mundo que teve uma apresentação única e especial em parceria com o Cinemark e foi um sucesso de público, sendo necessário a abertura de salas extras para exibição.


Death Note (デスノート, Desu Nōto?) é um filme japonês de suspense de 2006 dirigido por Shinsuke Sato e escrito por Tetsuya Oishi, com base no manga homônimo escrito por Tsugumi Ohba e ilustrado por Takeshi Obata. O filme centra-se no universitário Light Yagami que decide livrar o mundo do mal com a ajuda de um caderno sobrenatural que mata qualquer pessoa cujo nome é escrito nele. Foi produzido pela Nippon Television e distribuído pela Warner Bros..

Os capítulos do mangá foram serializados na revista semanal japonesa Weekly Shōnen Jump de 2003 até 2006, com os capítulos compilados em um total de 12 volumes tankōbon e lançados pela editora Shueisha. No Brasil, a série de mangá foi licenciada publicada em duas versões pela editora JBC, que também lançou as duas light novels da série. Em Portugal, o mangá foi licenciado e publicado pela editora Devir Manga.

O filme foi seguido por uma continuação direta, Death Note: The Last Name, lançada no mesmo ano. Um spin-off, L: Change the World, foi lançado em 2008. Outra sequência, Death Note: Light Up the New World, foi lançada em 2016.

Light Yagami, um jovem estudante universitário cuja vida sofre uma mudança drástica quando ele descobre um caderno misterioso, conhecido como “Death Note”, caído no chão. As instruções do Death Note afirmam que se o nome de uma pessoa está escrito dentro dele enquanto imaginando o rosto da pessoa, essa pessoa deve morrer. Light a princípio duvida da autenticidade do caderno, mas depois de experimentá-lo, ele percebe que o Death Note é real. Após o encontro com o anterior proprietário do Death Note, um shinigami chamado Ryuk, Light procura tornar-se o “deus do novo mundo”, passando o seu juízo sobre aqueles que ele considera ser mal ou que ficar em seu caminho.

Depois de meses matando criminosos, Light é apelidado de Kira pelo público e alguns acreditam que ele seja justo sobre matar criminosos. Conhecido como o melhor detetive do mundo, L começa a trabalhar no caso. L consegue enfrentar Light, ao vivo na TV, e deduz que ele está na região Kanto do Japão e ele pode “matar sem levantar um dedo”. A corrida então começa, entre L e Kira para descobrir a identidade um do outro.

Se nós contarmos mais que isso, SPOILER SWEETIE ….

 

Compre o livro na amazon: bit.ly/estradaparayellowrose

Adicione seu comentário VIA FACEBOOK

Powered by Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *